RSS Feed

Tag Archives: munich

Um passeio pelas Estacoes de Metro de Munique

Posted on

As estações de metrô são espaços pensados principalmente para prover mobilidade e servirem como zonas de transição para transeuntes. Porém, muitas estações de metrô ao redor do mundo tornaram-se não só pontos de chegada e partida, mas também atrações turísticas por si só.

Nas cidades onde os sistemas de transporte público são eficientes, muitos cidadãos se tornam dependentes do metrô. Mas, infelizmente, a grande maioria dos usuários de metrô não investe tempo extra para apreciarem as diversas artes que podem ser encontradas na arquitetura interna. Seja por falta de interesse, por não perceberem o valor ou estarem com muita pressa, as pessoas costumam simplesmente seguir seu caminho sem pararem para observar os detalhes.

Em inúmeros países, principalmente na Europa, equipes de arquitetos decidiram quebrar a monotonia e proporcionar experiências mais ricas e diversificadas ao público viajante, e o resultado se deu com estações de metrô completamente transformadas em espaços maravilhosos.

Jogos de cor, projeções de luz, jardins suspensos, exposições de arte, desenhos virtuosos ou museus

históricos, enfim, certas estações de metrô são formidáveis quando consideramos os trabalhos únicos que arquitetos fizeram para criar esses espaços subterrâneos.

Essas estações de metrô passaram a refletir o espírito das grandes cidades. Mas existem metrópoles cujas linhas subterrâneas são um espetáculo à parte. Seja em Estocolmo ou em Moscou, em Paris ou Montreal, algumas estações transformam a experiência de circular de trem por baixo da superfície em um deleite para os olhos.

Em Munique são 07 linhas de U-Bahn (metro), 08 linha de S-Bahn (trens de superfície), alem do Straßenbahn (Tram ou Bonde) e ônibus. Você pode utilizar todo o sistema de transporte publico, com um único ticket (Tageskarte ou Cartões Diários). Clique aqui o link e saiba um pouco mais sobre o sistema de transporte publico em Munique.

O passeio começa pela linha do U-Bahn U1 (verde) OLYMPIA-EINKAUFSZENTRUM em direção a MANGFALLPLATZ. Ou vice-versa, começando em MANGFALLPLATZ em direção a OLYMPIA-EINKAUFSZENTRUM

 

  • OLYMPIA-EINKAUFSZENTRUM (foto abaixo)
  • GEORG-BRAUCHLE-RING (foto abaixo)

 

  • WESTFRIEDHOF (foto abaixo)
  •  GERN (foto abaixo)

  •  ROTKREUZPLATZ
  • MAILLINGERSTRASSE
  • STIGLMAIERPLATZ
  • HAUPTBAHNHOF (ESTACAO CENTRAL)
  • SENDLINGER TOR
  • FRAUNHOFERSTRASSE
  • KOLUMBUSPLATZ
  • CANDIDPLATZ (foto abaixo)

  • WETTERSTEINPLATZ (foto abaixo)

  • ST.-QUIRIN-PLATZ (foto abaixo)

  •  MANGFALLPLATZ
    TROCA DE LINHA… U2 (VERMELHA)
     O PASSEIO COMEÇA EM FELDMOCHING E VAI ATE KOLUMBUSPLATZ (OU VICE-VERSA)
  • HASENBERGL (foto abaixo)
  •  DÜLFERSTRASSE (foto abaixo)

  •  HARTHOF
  • AM HART (foto abaixo)

    FRANKFURTER RING

  • MILBERTSHOFEN (foto abaixo)
  • SCHEIDPLATZ
  • HOHENZOLLERNPLATZ
  • JOSEPHSPLATZ
  • THERESIENSTRASSE
  • KÖNIGSPLATZ (foto abaixo)

 

  • HAUPTBAHNHOF (ESTACAO CENTRAL)
  • SILBERHORNSTRASSE
  • UNTERSBERGSTRASSE
  • KARL-PREIS-PLATZ
  • INNSBRUCKER RING
  • KREILLERSTRASSE
  • JOSEPHSBURG (foto abaixo)

  • TRUDERING (foto abaixo)
  •  MOOSFELD (foto abaixo)

  •  MESSESTADT WEST (foto abaixo)

  •  MESSESTADT OST
  • SENDLINGER TOR
  • FRAUNHOFERSTRASSE
  • KOLUMBUSPLATZ

TROCA DE LINHA… U3 (LARANJA) 
O PASSEIO COMEÇA EM MOOSACH E VAI ATE SENDLINGER TOR (VICE-VERSA)

  • MOOSACH (foto abaixo)
  •  MOOSACHER ST.-MARTINS-PLATZ (foto abaixo)

  •  OBERWIESENFELD (foto abaixo)

  •  OLYMPIAZENTRUM
  • PETUELRING
  • SCHEIDPLATZ
  • BONNER PLATZ
  • MÜNCHNER FREIHEIT (foto abaixo)

  • GISELASTRASSE
  • UNIVERSITÄT
  • ODEONSPLATZ
  • MARIENPLATZ (foto abaixo)
  •  GOETHEPLATZ
  • POCCISTRASSE
  • IMPLERSTRASSE
  • BRUDERMÜHLSTRASSE
  • THALKIRCHEN (TIERPARK) – ZOOLOGICO (foto abaixo)

  • OBERSENDLING
  • AIDENBACHSTRASSE
  • MACHTLFINGER STRASSE
  • FORSTENRIEDER ALLEE
  • BASLER STRASSE
  • FÜRSTENRIED WEST
  • HAUPTBAHNHOF (ESTACAO CENTRAL)
  • SENDLINGER TOR

TROCA DE LINHA… U4 (AZUL) 
O PASSEIO COMEÇA EM GARSCHING-FORSCHUNGSZENTRUM E VAI ATE SENDLINGER TOR (OU VICE-VERSA)

  • GARCHING-FORSCHUNGSZENTRUM
    GARCHING

  • GARCHING-HOCHBRÜCK
  • FRÖTTMANING 

  • KIEFERNGARTEN
  • FREIMANN
  • STUDENTENSTADT
  • ALTE HEIDE
  • NORDFRIEDHOF
  • DIETLINDENSTRASSE
  • MÜNCHNER FREIHEIT 
  • GISELASTRASSE
  • UNIVERSITÄT
  • ODEONSPLATZ
  • MARIENPLATZ 

  • GOETHEPLATZ
  • POCCISTRASSE
  • IMPLERSTRASSE
  • HARRAS
  • PARTNACHPLATZ
  • WESTPARK
  • HADERNER STERN
  • GROSS-HADERN 
  • KLINIKUM GROSSHADERN

  •  SENDLINGER TOR

TROCA DE LINHA… U7 (VERDE) 
O PASSEIO COMEÇA EM WESTFRIEDHOF E VAI ATE SENDLINGER TOR (OU VICE-VERSA)
* LEMBRANDO QUE AS ESTACOES MAIS INTERESSANTES DA LINHA U7  SAO WESTFRIEDHOF E GERN. AMBAS ESTACOES FAZEM PARTE DO ROTEIRO DA LINHA U1.

  • WESTFRIEDHOF

  •  GERN

  •  ROTKREUZPLATZ

    MAILLINGERSTRASSE

  • STIGLMAIERPLATZ
  • HAUPTBAHNHOF (ESTACAO CENTRAL)
  • SENDLINGER TOR
  • FRAUNHOFERSTRASSE
  • KOLUMBUSPLATZ
  • SILBERHORNSTRASSE
  • UNTERSBERGSTRASSE
  • KARL-PREIS-PLATZ
  • INNSBRUCKER RING
  • MICHAELIBAD
  • QUIDDESTRASSE
  • NEUPERLACH ZENTRUM
Anúncios

Munique – Cidade do estilo de vida

Posted on
weihnachtsmarkt-2015-2480
Knödel, Strudel, Schmankerl e cerveja – saboreando Munique

 

Comidas típicas da Baviera nos restaurantes e cervejarias, assim como especialidades de outros países nos Ristorantes, Sushibars e Tavernas, convidam para um tour de descobertas culinárias por Munique.

Antes de partir para uma volta ao mundo pela gastronomia internacional de Munique, é recomendável tomar uma deliciosa cerveja de Munique e testar um tradicional “Schmankerl”.

Seis grandes cervejarias fazem a fama da cidade como metrópole da cerveja: Augustiner, Hacker-Pschorr, Löwenbräu, Paulaner, Spaten e Staatliches Hofbräuhaus. Seja em um “Biergarten”, ao ar livre, na Oktoberfest, quando é servida a cerveja mais forte “Starkbier”, ou nos restaurantes tradicionais da cidade, não faltam oportunidades para provar a variedades de cervejas de Munique durante todo o ano.

Uma típica cervejaria de Munique serve pratos bem servidos em todas as variações. Quem prefere porções menores, pode pedir um “Brotzeit”, uma espécie de lanche bávaro: Rettich e Radieschen, dois tipos de rabanete, salsichas e queijo, pão Brezen fresquinho e pão preto, com “Schmalz”, um patê com gordura de porco, ou cebolinhas – tudo isso acompanhado de uma cerveja tirada na pressão, ou de um caneco de Radler, uma mistura de cerveja com refrigerante.

Muitos dos mistérios da cozinha internacional também podem ser descobertos em Munique: o amor pela cozinha “exótica” na cidade começou com os primeiros contatos com a Itália e outros países europeus. Hoje, diversas tratorias, restaurantes e bares, além de tavernas e bistrôs, já são considerados casas tradicionais de Munique. Atualmente, a escolha vai desde a costa do Atlântico até o Extremo Oriente, dando uma volta ao mundo pelas cozinhas da Europa até a Ásia ou África.

Slow or Fast – tradicional ou fusion, leve ou pesada, “haute cuisine” ou “Brotzeit” – a oferta abrange especialidades para todos os gostos. O ambiente também pode ser escolhido de acordo com as preferências, seja um templo gastronômico, um restaurante típico ou um café da moda.

É claro que a escolha número um continua sendo o clássico do verão, os “Biergarten”, onde os habitantes de Munique dividem com visitantes do mundo inteiro a mesma mesa e o mesmo banco nas cervejarias ao ar livre. À sombras das castanheiras, o cliente não só é servido com bebidas geladas, cerveja e especialidades bávaras, mas pode até mesmo trazer sua própria comida – uma particularidade da Baviera.

Já na primavera, começa a “quinta estação do ano”, cuja origem é a arte da fabricação de cerveja: a época católica do jejum é também a época da “Starkbier”, uma cerveja forte com maior teor de malte e álcool. Seguindo a tradição, durante o mês de março, todas as cervejarias da cidade servem esta cerveja muito nutritiva, que foi justamente criada por monges de Munique para suportar melhor as agruras da fase em jejum. O programa também inclui música e dança, completando a alegria.

 

Ruínas do Terceiro Reich

Posted on

Esse tema é de longe o mais complicado a ser pesquisado em terras alemãs. Simplesmente porque tudo referente a II Guerra Mundial se tornou proibido. Pra você ter uma idéia, se você digitar a palavra “Hitler” no youtube, todos os videos estão bloqueados com a mensagem “conteúdo indisponível no seu país”.

Sempre fui um aficcionado pelo tema “II Guerra Mundial”. São dezenas de filmes, documentários e livros na minha estante. Tudo que envolva as batalhas e o material bélico da época, faço questão de assisitir ou ler mais e mais, tanto que um dos meus hobbys é o Plastimodelismo Militar. Sim montar e pintar “aviãozinho de guerra” (termo usado pela maioria dos leigos)

Na minha primeira visita a Alemanha, isso muito antes de pensar em morar por aqui, cheguei acreditando que iria ter acesso a todo poderio bélico remanescente da década de 40. Na primeira oportunidade, lá estava eu questionando a população local: “Onde posso encontrar tanques Panzers? E os aviões Messerschmitt ? A reação de todos era sempre a mesma, negativar com a cabeça e já mudar de assunto.
Eu não entendia o motivo de tanta antipatia e aversão. Passei a entender depois que deixei de usar o visto de turista no meu passaporte, no dia que passei a viver o dia-a-dia dos alemães.

Uma coisa é certa, tudo o que foi feito à 70 anos atrás, foi pago e continua sendo pago por todas as gerações seguintes. Acredito que isso ainda irá permanecer por mais um século. Você nunca irá ver um alemão discutindo na rua com pessoas de outras etnias. Como assim? Calma, vou explicar exemplificando com um episódio que eu já vi dentro do metro. Um grupo de adolescentes turcos gritavam dentro do metro, gritavam é uma forma de ser educado, eles estavam “zaralhando”. Um senhor alemão, se aproximou com dificuldades e pediu para que falassem um pouco mais baixo, automaticamente o grupo de adolescentes começou a gritar “Sai daqui seu nazista! Sai daqui!”. Naquele dia comecei a entender o peso da bagagem que os alemães carregam, e passei a fazer minha pesquisa sozinho, usando apenas a internet como base.

Numa dessas pesquisas, encontrei o site: http://www.thirdreichruins.com (está todo em inglês).
Depois disso foi extremamente fácil encontrar todos os prédios e ruínas da época. Era só seguir o passo-a-passo feito pelo Geoff Walden (autor do blog).

Munique teve uma grande importância, pois foi a Capital do Movimento – o berço do Partido Nazista. Durante todo o período do Terceiro Reich, Munique continuou sendo a capital espiritual do movimento nazista, com edifícios sede, museus para abrigar as formas de obras aprovadas por Adolf Hitler, além de ter sido o local escolhido para a tentativa do golpe nazista em novembro de 1923.

Vou tentar descrever esses locais históricos:

Já escrevi sobre “Eagle Nest” ou Kehlsteinhaus (em alemão) ou “Ninho da Águia”. É uma casa de montanha de Adolf Hitler situada a 1834m de altitude, no topo da montanha Kehlstein. Encomendada por Martin Bormann como um presente de Aniversário de 50 anos para o líder do Partido Nacional Socialista Adolf Hitler, tornou-se um dos destinos turísticos mais populares no sul da Alemanha.
Atualmente a Kehlsteinhaus abriga um excelente restaurante, com uma vista deslumbrante e onde encontramos os melhores e mais tradicionais pratos da Bavária. O nome de “Ninho da Águia” talvez se deva à sua localização dada a altura ser propícia para as Águias edificarem os seus ninhos, ou a Adolf Hitler ser considerado a Águia da Alemanha, ou de alguma forma remediar ao fato do brasão da Alemanha Nazista constar uma Águia. Mas admito que qualquer uma dessas hipóteses possam ser meras conjecturas minhas.

Hofbräuhaus: A mundialmente famosa cervejaria Hofbräuhaus, localizado na Platzl 9, foi palco de várias reuniões nazistas e alguns dos discursos mais memoráveis ​​de Hitler. Inclusive foi o local de um dos atentados contra Hitler.

Kriegerdenkmal: O Memorial está localizado no Hofgarten. Um grande bloco de pedra, com o slogan “Sie werden aufstehen” (Eles irão se levantar), abrange uma área com uma cripta rebaixada, mostrando uma escultura de um soldado alemão preparado para o enterro. O memorial foi erguido em 1924-1926 em memória aos 13.000 “filhos heróicos de Munique” que caíram na Primeira Guerra Mundial, entre 1914-1918. Após a Segunda Guerra Mundial, uma inscrição no memorial foi acrescentada para os 22.000 soldados mortos e 11.000 desaparecidos, além das 6.600 vítimas dos bombardeios aliados em Munique entre 1939-1945.

Löwenbräukeller: localizado na Nymphenburger Straße 4, foi outro local favorito para os primeiros encontros e discursos do Partido Nazista.

Park Café:  Localizado na Sophienstraße 7, foi construído em 1935-1937 no local do antigo Palácio de Vidro de Munique, que pegou fogo em 1931. O Park Café exibia o estilo neo-clássico preferido pelos nazistas, e era ponto de encontro frequente de Hitler.

Dachau: foi estabelecido nas dependências de uma fábrica abandonada de munição, próxima à parte nordeste da cidade de Dachau, a cerca de 15 quilômetros ao noroeste de Munique, no sul da Alemanha. Foi o primeiro campo de concentração, servindo de modelos para os demais, inclusive como centro de treinamento para os soldados da SS. Dachau chegou a abrigar mais de duzentos mil prisioneiros, sendo a maioria presos politicos, artistas e opositores ao regime nazista. Com um Estado Totalitário, não seriam aceitos aqueles que manisfestassem um pensamento ideológico contrário ao Socialismo Nacionalista de Hitler, que o mesmo afirma em sua biografia: “A lei natural de toda evolução não permite a união de dois movimentos diferentes, mas assegura a vitoria do mais forte e a criação do poder e da força do vitorioso, o que só se pode conseguir por meio de uma luta incondicional (HITLER, 2005, p.257).”

Os judeus que passaram a ser perseguidos, perderam seus direitos políticos e sociais, foram declarados inimigos políticos e consequentemente também foram enviados para Dachau.
Diferente de Auschwitz II (Birkenau), que era um Campo de Extermínio, Dachau era considerado no início, um presídio comum. No entanto, nos ultimos anos da guerra, seus presos passaram a ser fuzilados ou enforcados. Cerca de trinta mil pessoas morreram em Dachau. O campo chegou a possuir uma câmara de gás, mas não há registros de que tenha sido usada.

Minha única visita a Dachau foi feita na Primavera em um dia com Sol e Céu azul, nem por isso o clima ficou menos pesado. Com a frase “Arbeit Macht Frei” (o trabalho liberta) no portão de entrada, é impossível o visitante não se colocar no lugar de um dos 200 mil presos que por ali passaram.

Em Dachau, como em outros campos nazistas, os médicos alemães realizavam experiências médicas nos prisioneiros, tais como testes de alta altitude usando câmaras de descompressão, experimentos com malária e a tuberculose, hipotermia, e testes experimentais para novos remédios e vacinas que servissem aos alemães. Os prisioneiros também eram forçados a serem cobaias em testes de métodos de dessalinização da água e de estancamento de perda de sangue excessivo. Centenas de prisioneiros morreram ou ficaram permanentemente incapacitados como resultado destas experiências.

No dia 26 de abril de 1945, já próximo da data da chegada das Forças Norte-Americanas ao local, os Guardas da SS obrigaram mais de 7.000 prisioneiros, a maioria deles judeus, a iniciarem a chamada “marcha da morte”, uma caminhada que ia de Dachau à Tegernsee, bem mais ao sul. Durante a mencionada marcha, os guardas alemães atiravam em qualquer pessoa que não conseguísse continuar a andar; muitos outros morreram de fome, de frio e exaustão. Três dias depois, as forças norte-americanas libertaram Dachau e uma semana depois libertaram os prisioneiros sobreviventes que haviam sido levados para a marcha da morte

Monumento em homenagem aos prisioneiros que se suicidaram na cerca eletrificada.

Castelo de Linderhof

Posted on

O Castelo Linderhof (Schloss Linderhof) é o menor dos três Castelos construídos pelo Rei Luis II da Baviera, mas o único que o monarca viu concluído. Esse Castelo além de ter uma bela arquitetura, impressiona pelo cenário. Amplos jardins, lago, fontes, cascatas e uma gruta artificial com rochas iluminadas que emolduram um lago menor.

As melhores vistas do Castelo Linderhof são as dos terraços e do templo de Vênus no outro lado desta piscina. Note-se a grande árvore impedindo a simetria – esta com 300 anos de idade, limoeiro ( Linde ) deu o palácio seu nome e não foi arrancada por insistência do Rei Ludwig II.
Atrás do palácio tem uma enorme cascata, onde a água cai por longos 30 degraus.O parque tem várias outras estruturas, aberto apenas no Verão, incluindo:

  • A Gruta de Vênus (Venusgrotto) – uma caverna artificial baseado no primeiro ato da ópera de Wagner Tannhäuser .
  • O Pavilhão Mourisco (Maurischer) – originalmente parte da Feira Mundial de Paris 1867, porém mais comprado depois pelo Rei Ludwig para o parque de Linderhof.
  • A Casa Marroquina (Marokkanisches Haus) – comprado por Ludwig II na Feira Mundial de Paris 1878, mas só erguido em Linderhof Park, em 1998.

Dica: aproveite e faça a visita aos dois Castelos (Neuchwanstein e Linderhof) no mesmo dia, pois a distância entre ambos é pequena.

Como ir: Trem de Munique (Estação Central) para Oberammergau, depois o ônibus 9622 de Oberammergau para Linderhof.

Eagle Nest “Ninho da Águia”

Posted on

Berchtesgaden

Em 4 de maio 1945, a Terceira Divisão de Infantaria atingiu a cidade turística de Berchtesgaden e de lá tomou um caminho estreito até Obersalzberg, uma subida com cerca de 1.200 metros. A captura do “Ninho da Águia” seria simbólica, pois os 315 bombardeiros britânicos já haviam pulverizado praticamente todo o complexo nazista. Além da possibilidade de capturar lideres do Terceiro Reich, era uma questão de honra para os soldados americanos. Algo semelhante aconteceu com a bandeira em Iwo Jima, em Fevereiro daquele mesmo ano. Isso sem contar com as Adegas do Marechal Hermann Göring, que construiu uma casa de férias perto do Berghof.
A subida ate o “Kehlsteinhaus” (Ninho da Águia) é um passeio inesquecível, tamanha a beleza do local Quando você chega no topo da montanha, você entende o motivo de Hittler ter passado grande parte de seus 12 anos como Führer (às vezes até 06 meses em 1 ano), em uma casa chamada de Alpine Berghof. Todo o vale do Berghof foi o Untersberg, uma montanha que se diz conter a alma imortal do imperador Carlos Magno, que havia conquistado a maioria da Europa cristã no Século IX.
Dica importante: o “Ninho da Águia” NÃO funciona no Inverno !
A estrada de acesso ao topo da montanha é estreita, feita somente pelos ônibus credenciados.
Para esse passeio, temos dezenas de empresas turisticas que operam na região e cobram uma média de 100 euros por pessoa, isso mesmo..100 EUROS ! (trem até Berchtesgaden, ticket do onibus e guia).
A dica que posso passar é ir na Estação Central (Hauptbahnhof), comprar o “Bayrisch Ticket” para o trem.
Com esse “ticket da Bavária” você e mais quatro pessoas poderão ir ate Berchtesgaden e voltar por 29 euros (válido de 6 da manhã até às 6 da manhã do dia seguinte). Essa viagem de trem tem a duração de mais ou menos 1 hora.
Nesse vídeo que fiz, você pode ter uma ideia de como é essa viagem
Na estação de Berchtesgaden, tem onibus saindo a cada 20minutos para Obersalzberg. Esse onibus já está incluso no “Bayrisch Ticket”. Essa viagem tem a duração de 20 minutos.
Chegando em Obersalzberg, temos o “Dokumentation Obersalzberg“. Além de ser o ponto de partida do tal ônibus que irá percorrer os 1200metros de subida até “Eagle Nest”, temos diversos documentos e fotos da época, e visitação aos acessos do bunker. Se não me engano, o ticket para esse “Centro de Documentação” custa uns 3 euros e o ônibus uns 15 euros.
Nota: “Com base no acordo entre o governo do Estado da Baviera e as forças americanas ocupacionais, as ruínas do Berghof, as casas de Göring e Bormann, a creche, o quartel da SS, a Kamphäusl chamado (onde Mein Kampf, vol . 2 foi escrito) e casa de chá de Hitler foram explodidos. Assim como bunker de Hitler em Berlim, o governo não quer deixar monumentos que poderiam se tornar locais de peregrinação para os neonazistas”.
IMPORTANTE: A estrada que dá acesso a Eagle Nest é estreita e feita apenas pelos onibus credenciados no local. Por questões de segurança, a estrada é fechada normalmente, em Novembro e reabre no fim de Março/Abril. Não existe uma data anual certa, tudo depende das condições climáticas locais. De qualquer forma, o aviso com as datas é publicado no site com umas duas semanas de antecedência.
Maiores informações no site:

Melhor época para viajar

Posted on

Gosta de Neve ? Ou prefere Sol e calor ? Tudo colorido? ou tudo marrom ?
Eu gosto muito do Inverno e da Primavera.

O Inverno para muitos é sinônimo de frio, lareira e cobertor.
No meu caso, pensar no Inverno é pensar em diversão.
Sair para passear com os cachorros já se torna um programa divertido, ainda mais se esse passeio for com um Snowboard e em uma montanha. 🙂
Perai, mas nem tudo é diversão, tem dias que o “bicho pega”.O último Inverno 2011/12, tivemos noites com -20°C. Isso mesmo, Urso Polar usando casaco.
Sair de casa é uma novela, 30 minutos para terminar de colocar tanta roupa de frio.
A neve que era fofa e divertida, se transforma em uma verdadeira armadilha. Tudo congelado e escorregadio. Porém esse Inverno foi algo atípico, um dos mais frios dos últimos 30 anos.
A dica do Inverno é fugir do início (sem neve) e do final (neve derretendo, tudo sujo)
O ideal é no final de Janeiro, certeza de ter bastante neve, e a neve começa a derreter no finalzinho de Fevereiro, as vezes Março Gosta de Neve ? Ou prefere Sol e calor ? Tudo colorido? ou tudo marrom ?

Primavera: Sol e céu azul, pouca chuva e tudo colorido.
Um simples moleton resolve tudo e a certeza de ter otimas fotos no seu cartão de memória.
Acho legal o mês de Maio, pois a estação já ficou bem definida e é quando acontece algumas festas bem legais por aqui.

“Ah, eu adoro o Verão, calor,…”
O Verão por aqui é quente, quente mesmo. Tem dias, completamente abafados e sem uma brisa pra ajudar a refrescar. Se você está vindo para curtir os lagos da Bavária, ok. Porem se veio para fazer um “city-tour”, caminhando pelo centro da cidade, tenho pena de você. E olha que sou carioca, acostumado com o calor.
Além disso, temos uma grande instabilidade, com duas semanas de muito Sol e calor, e 3 ou 4 dias de chuva .

Outono: Admito que a paisagem é bucólica e bonita, com 400 toneladas de folhas secas espalhadas pelas ruas e calçadas. O problema dessa estação, é que temos um frio similar ao Inverno, porém sem neve.
Ok, mesmo não tendo temperaturas negativas, grande parte dos casacos que uso no Inverno, já começam a sair do armário nessa época.

Cursos de Alemão

Posted on

Se você só sabe contar “ein, zwei, drei” e pensa fazer um Curso de Alemão, essas dicas podem te ajudar. Já estudei em três diferentes instituições (particulares e públicas) e todas apresentavam diferentes metodos de ensino.
Tá vindo como turista ?
Visto de Turista é valido por 3 meses. Portanto o melhor, é fazer a matricula do curso pela internet, de preferência assim que forem abertas, deixando para embarcar para Alemanha uns 2 ou 3 dias antes. As turmas são formadas por 10 ou 15 alunos e essa capacidade é atingida já na primeira semana de inscrição.
Tendo tempo e dinheiro, você pode vir com o visto de estudante de 1 ano. Porém o processo é diferente, envolvendo Consulado Alemão, comprovação de renda para se manter por 1 ano na Alemanha, …aquela verdadeira burocracia.

Posso indicar dois cursos para turistas, infelizmente o terceiro além de ser apenas para residentes, tem duração de 6 meses.

– Münchner Volkshochschule ( € 230, por modulo)
3 horas por dia, Seg-Qui, 4 semanas
Mais opções de horarios e lugares, consequentemente mais vagas a disposição.
Gostei bastante desse curso, achei a forma de aprendizado mais fácil.
http://www.mvhs.de

– Deutsch Akademie ( € 265, por modulo)
3 horas por dia, Seg-Qui, 4 semanas
um pouco mais caro, tem poucas vagas e tem mais prestígio entre os alemães.
Achei esse curso um pouco acelerado, ao ponto que quando faltei 1 dia, no dia seguinte eu estava “boiando”, sem entender nada.
http://www.deutschakademie.de/muenchen/