RSS Feed

Tag Archives: dicas de viagem

Para quem pensa em morar na Alemanha…

Posted on

dsc_0840

Quando você diz que mora na Alemanha, a primeira coisa que escuto “nossa! O problema deve ser falar o alemão, né?”. Bom, a barreira linguística sempre foi e sempre será um grande problema. É complicado você ligar um rádio ou tv e não entender nada. Pior, não conseguir resolver coisas simples na rua. “Ah, mas com smartphones ajuda”. Sim, concordo, ajuda muito. Ter em mãos um GoogleMaps ou GoogleTranslator ajuda absurdamente, porem os “perrengues” irão acontecer sempre, quando você menos espera. Além disso, por mais que você fale fluentemente o idioma, você irá “boiar” em uma ou outra piada feita em uma roda de amigos. Isso porque além dos dialetos, temos também os provérbios populares. Some isso a barreira cultural, o clima, …porem há muitos outros motivos que são mais do que suficientes para alguém considerar viver no país da cerveja e da salsicha, ou invejar quem optou em morar aqui.

Atualmente temos mais de 8 milhões de estrangeiros vivendo na Alemanha, o que representa mais ou menos uns 8% da população total do país. Entre os países europeus. sem duvida a Alemanha é o que apresenta o número maior de residentes estrangeiros.

A Alemanha tem muito a oferecer no aspecto profissional e educacional , alem de teruma qualidade de vida difícil de ser encontrada em outros países no mundo, motivos esses suficientes para chamar a atenção de brasileiros e incentivá-los a mudar para o país. No entanto, não basta somente decidir vir morar aqui. Morar legalmente na Alemanha não é tão simples assim, pelo contrario.

“Qualidade de Vida”

A Alemanha está em segundo lugar entre os países com melhor qualidade de vida no mundo. A nação germânica obteve grande destaque na categoria relacionada ao poder de compra da população. Entre os outros critérios avaliados, estão a relação entre tráfego e o tempo de viagem, e a relação entre o preço dos imóveis e a taxa de valorização dos mesmos.

“Educação”

O nível de educação nas escolas da Alemanha é altíssimo, para se ter uma idéia, praticamente todos aprendem Inglês na escola e muitos estudam até latim. As universidades públicas do país estão entre as melhores do mundo, e sempre oferecendo oportunidades para estrangeiros em diversas áreas.

“Direitos Trabalhistas”

Ainda estou para conhecer um país que ofereça tantos direitos ao trabalhador como a Alemanha. Aqui há empresas que dão 6 semanas de férias por ano, as quais podem ser tiradas em qualquer época, contanto que seja acordada com o empregador. Horas extras são remuneradas ou convertidas em folgas. Em caso de doença, não é necessário apresentar um atestado médico até 3 dias, somente após esse tempo é que o documento é obrigatório. A maioria das empresas distribuem bônus no fim do ano e dividem o 13° em duas partes, no meio e no final do ano.

“Incentivos Para Se Ter Filhos”

Nas últimas décadas os alemães têm tido menos filhos, o que está reduzindo a população alemã, problema esse que preocupa o governo do país. Por esse motivo, cada casal que tenha um filho alemão recebe uma contribuição monetária até este filho completar 25 anos. Além disso, a licença maternidade pode durar até 1 ano – remunerada – e se for o caso, a mãe pode prolongar esse período, no entanto não será mais remunerado, mas não perderá sua vaga no emprego.

“Alimentação Saudável”

Não é necessário morar muito tempo aqui na Alemanha para perceber a quantidade de produtos orgânicos encontrados nos supermercados. Do simples mercadinho até o melhor supermercado da cidade, produtos saudáveis sem qualquer adulteração e cultivados por pequenos produtores estão sempre à vista. Esses produtos variam desde frutas e verduras até macarrão, leites e iogurtes, os alemães são bem preocupados com a saúde e com a procedência dos alimentos que consomem.

“Tudo Funciona”

Realmente tudo funciona! E funciona mesmo, nos bancos nunca há filas; se no supermercado houver filas, não demora muito até outro caixa abrir; as faixas de bicicletas e de pedestres são respeitadas; registrar um carro não demora mais que 1 hora e você já sai com ele emplacado; transporte publico pontual e funcionando 24hs, 7 dias por semana;

“Transporte Público”

Nesse quesito, a Alemanha está sempre entre os 10 melhores sistemas de transporte público do mundo. Morando aqui, não é difícil perceber isso, a combinação de ônibus, metrô, trens e trams (bondes) é a melhor que já vi até hoje nas minhas andanças pelo mundo. É verdade que não é um dos mais baratos, mas o resultado se vê no dia a dia, observando a pontualidade, a eficiência, a limpeza e a organização.

“Meio Ambiente”

A Alemanha é um país que investe muito em energias renováveis, principalmente solar e eólica, e há um certo incentivo do governo para as casas que possuírem tetos solares, onde descontos nos impostos são oferecidos em troca. Por aqui também há uma grande preocupação com reciclagem, das cidades minúsculas do interior até às maiores do país, todos separam o lixo já em casa, para que após sejam encaminhados à seu devido processo de reciclagem. Sem mencionar o respeito que o alemão tem para com a natureza.

“Aberto à Outras Nacionalidades”

Desde que a Alemanha foi reconstruída após a Segunda Guerra Mundial, os alemães têm tentado de várias formas encobrir seu passado sombrio, e uma delas foi se abrir para o mundo. A Alemanha hoje é extremamente receptiva com estrangeiros, tanto que entre os seus mais de 80 milhões de habitantes, 7.6 milhões são estrangeiros.

Agora a pergunta: como se mudar para a Alemanha ? Lembrando que o imigrante ilegal nao tem chances por aqui. Existem algumas formas de morar legalmente na Alemanha, dentre elas:

1) se você for cidadã(ão) alemã(o) ou européia(eu), ou vier casada(o) com um -> relativamente fácil pois poderá trabalhar, apesar de ter que batalhar onde morar (não tão fácil para quem não tem emprego) e buscar emprego rapidamente -> não precisa de visto

2) veio por casamento com cidadão(ã) europeu -> não tem que se preocupar com moradia e sustento logo de cara, e pode aprender a língua sem pressão e trabalhar quando quiser. Se não é seu caso, respostas de quem veio assim podem te passar a falsa impressão de facilidade, mas não é bem assim não -> visto de reunião familiar

3) você pretende vir para continuar estudos de pós graduação, mestrado, doutorado, post-doc, onde existem vistos específicos e até bolsas de estudo para os alunos. Pesquisadores também podem se beneficiar desta categoria -> aplique para visto de estudo ou pesquisa

Todos os anos o número de estudantes estrangeiros na Alemanha aumenta; a grande maioria vem para programas de dupla titulação, onde têm a oportunidade de ficar de 6 meses a 1 ano. Os níveis variam entre bacharelado, mestrado, MBA e doutorado.

A Alemanha é o terceiro lugar mais procurado por estudantes internacionais no mundo, depois dos Estados Unidos e Inglaterra. De acordo com informações do DAAD (Deutschen Akademischen Austauschdienst) a maioria dos estudantes são nacionais da China, Rússia, Áustria e Índia, mas desde 2012 notou-se um grande aumento de estudantes vindos do Brasil, Bangladesh e Índia.

Se o seu objetivo é vir estudar na Alemanha, o primeiro passo a ser dado é procurar uma universidade que ofereça o seu curso. Depois é importante checar os critérios de admissão da instituição. A grande maioria delas requer um nível intermediário de alemão (B1) para ingresso no curso. No entanto, é possível encontrar cursos onde falar o idioma inglês já seja suficiente.

Entrar em contato com a universidade para tirar dúvidas é imprescindível. Os funcionários da instituição escolhida serão as pessoas mais indicadas para te orientar com o processo de aplicação. É possível que eles também auxiliem com o pedido do visto, o qual será feito após você ser oficialmente aceito pelo universidade e após o seu registro ao chegar na Alemanha.

A grande vantagem de vir morar na Alemanha como estudante são as oportunidades que você terá de encontrar emprego aqui, e possivelmente passar a residir no país. Diversos estudantes permanecem aqui ao final dos estudos. Para buscar cursos e universidades na Alemanha, bem como obter mais informações sobre estudar no país como bolsa de estudos, etc., clique aqui.

4) você pertence a uma das profissões de alta demanda na Alemanha, onde só terá que obter uma renda de €39.6k/ ano (ou encontrar uma colocação que te garanta uma renda de €50.8k/ ano se for de outras áreas em baixa demanda) para poder se manter num visto de trabalho qualificado para cidadãos não europeus nem casados com um -> pode aplicar para um visto de busca de emprego

A Alemanha facilita a imigração de trabalhadores qualificados e altamente qualificados que possuam no mínimo um bacharelado. As áreas que mais necessitam de trabalhadores qualificados e especializados são: Matemática, TI, Ciências Naturais e Medicina.

Se você tiver um diploma de ensino superior reconhecido e meios de sustento próprios comprovados, o governo alemão oferece um visto de 6 meses para que você possa vir ao país buscar emprego. Se dentro desses 6 meses você conseguir encontrar um emprego que lhe ofereça um salário mínimo anual de 50.800 euros, poderá assim dar entrada no Cartão Azul da UE. Esse documento dá o direito de residir e trabalhar na Alemanha.

Se o seu caso não for esse, a outra maneira de conseguir encontrar emprego na Alemanha será correr atrás de uma empresa que esteja disposta a dar entrada no seu processo de visto de trabalho. Para isso, a empresa terá que provar ao governo da Alemanha que não há um alemão com as mesmas qualificações que você capaz de preencher essa vaga. Sim, é complicado, é exatamente por isso que o país dá prioridade a pessoas que sejam bem qualificadas, lembrando que saber pelo menos o básico do alemão é muito importante nessa busca.

No caso de estágio, normalmente só será possível ser feito caso esteja na Alemanha como estudante, ou que já esteja legalmente no país. Muito raramente uma empresa irá trazer um estagiário de outro país, mas sim, acontece, principalmente com nacionais europeus. No entanto, vale lembrar que após o estágio não há garantias de que você será efetivado na empresa, muito menos que poderá residir no país após seu término.

Muitas empresas oferecem também a oportunidade de fazer um programa de trainee, que normalmente dura 2 anos e proporciona a possibilidade de ser efetivado na empresa. Essas vagas são muito concorridas e dependo da área, requerem um excelente nível de alemão.

Existem muitas profissões que para serem exercidas na Alemanha irão requerer o reconhecimento do seu diploma no país. Dependo da sua área, especialmente se for relacionada à saúde, esse processo pode ser complicado e envolve o domínio do idioma alemão e pelo menos um teste. Se você busca algo específico, o ideal é entrar em contato com o consulado alemão mais próximo para obter mais informações.

Para nacionais europeus, o processo de vir à trabalho para a Alemanha é mais fácil, mas o conhecimento do idioma alemão ainda assim é imprescindível.

5) você tem capital suficiente para iniciar um negócio aqui, de acordo com os requisitos mínimos deles -> visto para empreendedores

6) você está disposta(o) a investir €8.640 num depósito em conta vinculada compulsória para se manter com visto por 12 meses para aprender alemão, podendo sacar €720 por mês para seu sustento -> visto de aprendizado de língua alemã

7) Vistos de Au-pair (seria babá ou babysitter) são concedidos só para jovens até 27 anos incompletos.

Enfim, mudar-se para a Alemanha ou para qualquer outro país não depende somente da sua decisão. Cada país tem suas leis de imigração e para viver legalmente e usufruir de certos benefícios é necessário respeitá-las. Portanto, antes de vir ao país para ficar, informe-se sobre seus direitos e deveres, dessa forma a sua mudança será bem mais simples.

*parte do texto foi extraido do conteudo do blog da Allane Milliane

O copo ideal

Posted on

Cada cerveja proveniente das diversas regiões alemãs, seja de trigo, clara ou escura, requer copos específicos que ressaltam o sabor, sobrepõem os aromas e ajudam a formar a melhor espuma.

 

0,,16764619_303,00

Não é nenhum segredo que a Alemanha é uma das principais produtoras de cerveja. Mas qual a maneira correta de degustar a bebida? Muitas vezes o segredo se resume à espuma do topo. O formato cônico do copo ajuda a manter o aroma, enquanto um copo fininho preserva o frescor.

 

0,,17513369_303,00

Para os cervejeiros de Colônia estes copos de 20 cl são essenciais. O termo Kölsch (adjetivo referente a Köln, nome de Colônia em alemão) é restrito a cervejarias dentro e nos arredores de Colônia. Garçons carregam bandejas circulares com alças cheias de Kölsch e trocam constantemente os copos cheios pelos vazios. Se você não quer beber mais, tampe o copo.Para os cervejeiros de Colônia estes copos de 20 cl são essenciais. O termo Kölsch (adjetivo referente a Köln, nome de Colônia em alemão) é restrito a cervejarias dentro e nos arredores de Colônia. Garçons carregam bandejas circulares com alças cheias de Kölsch e trocam constantemente os copos cheios pelos vazios. Se você não quer beber mais, tampe o copo.

 

0,,17513601_303,00

Assim como os rivais às margens do Reno, os moradores da vizinha Düsseldorf também têm uma especialidade, a Altbier. O copo também comporta 20 cl, mas é mais curto e largo que o de Colônia. E como a Altbier é de alta fermentação, o sabor ficaria choco se fosse servida em copos largos, diz um produtor. “No copo correto, a ‘Alt’ solta seu aroma e forma uma espuma compacta.”
0,,16763715_303,00

“Um copo de pilsen se estreita em direção à boca do copo, para que o aroma de lúpulo alcance o nariz”. “Isto melhora o sabor da cerveja.” Alguns copos são apenas cilíndricos, outros, como o da foto, têm o formato de tulipa. O pedestal da base é somente ornamentação e não influencia o sabor da bebida.

 

0,,17513600_303,00

A cerveja típica da Oktoberfest ou “helles” é servida em uma caneca de um litro, chamada “Mass”. Originalmente de cerâmica, estas canecas são produzidas para resistir às diversas rodadas de brindes e celebrações. Quando vazias, elas pesam mais de um quilo cada uma! Imagine então o quanto elas ajudam a delinear os músculos quando estão cheias! Prosit!

 

0,,17513599_303,00

Os copos da “Hefeweizen”, a cerveja clara de trigo, são altos e sinuosos. O elevado teor de dióxido de carbono forma a espuma na parte superior da bebida. Para isso, a cerveja deve ser derramada no copo vagarosamente. O diâmetro ampliado no topo do copo acomoda a espuma extra, assim como seus aromas florais.

 

0,,17513598_303,00

Até mesmo os soldados de Napoleão levantaram seus copos para brindar a “champanha do norte”. Uma fermentação especial à base de culturas de ácidos lácticos dá à “Berliner Weisse” sua característica borbulhante e de sabor único, geralmente complementada com um toque de framboesa ou xarope de aspérula (Waldmeister). O copo amplo serve para acomodar bem a espuma.

 

0,,17513602_303,00

Todos os detalhes do copo da “Schwarzbier”, a cerveja escura, celebram a experiência da degustação. A forma, a espessura e o tratamento dado à borda do vidro salientam o sabor. O formato amplo da boca do copo permite exalar melhor a nota de castanha torrada, chocolate e pão fresco. O formato também ajuda na manutenção da espuma, encorajando a degustar a bebida devagar.

 

0,,17519166_303,00

Ao beber a “Bönnsch”, da cidade de Bonn, os amantes de cerveja seguram em suas mãos pequenas obras-primas inspiradas pelo designer Luigi Colani. A “Bönnsch” é uma versão não filtrada da “Kölsch”. Apesar de não alterar o sabor da bebida, o copo é mais popular que a própria cerveja, especialmente entre turistas que procuram por um souvenir diferente, diz o dono da cervejaria.

 

Passaporte brasileiro: 8 dúvidas que você também pode ter!

Posted on

o-PASSAPORTE-facebook

1. Passaporte emitido pelo correio também é válido por 10 anos

Uma informação importante e que pouca gente sabe sobre o novo passaporte é que o documento – quando solicitado via correio – também terá a validade de 10 (dez) anos. Antes o documento solicitado por via postal era emitido com um prazo de validade menor (apenas 3 (três) anos) do que o documento solicitado pessoalmente.

Desde o final de 2015, com a emissão do novo modelo, a validade do documento passou a ser a mesma. Veja mais informações no artigo Passaporte brasileiro solicitado via correio terá validade de 10 anos!

2. Passaporte pode ser emitido em qualquer repartição consular

Outra informação interessante e que, acredito, algumas pessoas também não tenham conhecimento é o fato de que a emissão do passaporte não depende de jurisdição consular. Isto quer dizer que você pode solicitar o passaporte em qualquer repartição consular brasileira, independente do seu local de residência.

3. O passaporte brasileiro pode ser emitido mesmo havendo pendências eleitorais

Esta é uma dúvida muito comum dos brasileiros que residem no exterior. Muitos cidadãos não se preocupam em transferir o título eleitoral para o país onde passam a residir – ou, em outros casos, não exercem o direito do voto por três vezes consecutivas – e acabam por ter o título eleitoral cancelado. O ideal é que isto não aconteça mas, caso aconteça, ainda assim o documento é emitido pela repartição consular.

Porém, o(a) solicitante é avisado(a) de que, ao chegar ao Brasil, ele(a) deve comparecer ao Cartório Eleitoral para resolver a pendência e regularizar a situação perante a Justiça Eleitoral.

4. Não há diferença entre o valor do passaporte emitido presencialmente ou via correio

O valor cobrado para a emissão do passaporte pela repartição consular, tanto presencial quanto via correio, é o mesmo. Mas, é importante lembrar que quem solicita o documento via postal deve arcar com outros gastos com envelope e taxa cobrada pelas empresas de correio de cada país para envio da documentação, além de eventuais taxas que possam ser cobradas pelos bancos para efetuar o pagamento.

5. O nome dos pais é impresso no documento de viagem

Exatamente, desde o final de 2015, o novo passaporte para menor vem com filiação. Porém, nos passaportes emitidos no exterior o nome dos pais aparece na etiqueta colada na página 4, ao contrário do emitidos no Brasil, onde aparece logo após os dados do menor.

6. É possível incluir a autorização de viagem do menor durante a emissão do passaporte

Viajar com menor de idade nem sempre é a coisa mais simples do mundo. Na verdade, o problema não é nem para entrar no Brasil mas, sim, para deixar o país. A fiscalização brasileira, em geral, é bastante rigorosa quando se trata de deixar o Brasil com menores, sem a presença de ambos os pais ou responsáveis.

Há diversas maneiras de solucionar a questão mas, sem dúvida, a mais simples é incluir a autorização no documento de viagem do menor.

7. A validade do passaporte do menor varia conforme a faixa etária

Ao contrário do que acontecia antes, a validade do passaporte para menor agora depende da idade do mesmo, conforme a tabela abaixo:

Idade Validade
0 a 1 ano incompleto 1 ano
1 ano completo a 2 anos incompletos 2 anos
2 anos completos a 3 anos incompletos 3 anos
3 anos completos a 4 anos incompletos 4 anos
4 anos completos a 18 anos incompletos 5 anos
8. Não é possível embarcar com destino ao Brasil com passaporte brasileiro vencido

Outra dúvida muito frequente dos cidadãos brasileiros que vivem no exterior é se podem ou não embarcar para o Brasil com passaporte vencido e renovar no Brasil. A resposta para esta questão é não! As empresas áreas não podem autorizar embarque sem documento de viagem válido. Assim como em relação à questão do título eleitoral, o ideal é estar com o passaporte brasileiro em dia.

Somente em caso de extrema urgência de embarcar é que você poderá solicitar uma Autorização de Retorno ao Brasil (ARB).

Um dos imprevistos mais desagradáveis em uma viagem internacional é, sem dúvida alguma, perder seus documentos, principalmente quando este documento é nada mais, nada menos, do que o seu passaporte. Seja porque você foi furtado, roubado (sim, isto também acontece lá fora) ou porque você perdeu o documento em algum lugar, a falta do documento é, no mínimo, uma situação muito chata e que muitas vezes deixa a pessoa desorientada e sem saber o que fazer.

O que fazer se extraviar seu passaporte durante uma viagem ao exterior?

  1. Procurar a delegacia de polícia mais próxima do local onde o documento foi roubado ou extraviado para fazer a denúncia por roubo ou extravio, ou seja, o boletim de ocorrência (BO);
  2. Solicitar um novo passaporte ou a Autorização de Retorno ao Brasil (ARB).
  3. Dirigir-se à Repartição Consular Brasileira mais próxima (consulado ou embaixada), portando o BO e o protocolo de solicitação de passaporte ou da ARB.
    O que é Autorização de Retorno ao Brasil (ARB)?

    A Autorização de Retorno ao Brasil é um documento que permite ao seu titular fazer apenas uma viagem direta ao Brasil. Inclui-se no conceito de viagem direta os voos com escala em aeroportos internacionais, em que o passageiro permanece na área de embarque. Cabe, exclusivamente, à autoridade consular decidir sobre a emissão ou não da ARB. O Setor Consular pode emitir gratuitamente Autorização de Retorno ao Brasil em um prazo de 3 (três) dias úteis.

    Como você pode localizar a repartição consular mais próxima de onde se encontra?

    No Portal Consular há uma lista completa de todas as Repartições Consulares do Brasil no mundo. Se a cidade onde você estiver possuir ambos, embaixada e consulado, dê preferência ao Consulado. E se você estiver em uma cidade sem representação brasileira, será necessário viajar até a localidade mais próxima onde exista uma repartição consular do Brasil.

    E se você não conseguir entrar em contato com nenhuma Repartição Consular Brasileira, o que poderá fazer?

    Em último caso, você poderá entrar em contato com o Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) do Ministério das Relações Exteriores:

    – por telefone: (61) 8197-2284 ou (61) 2030-6456

    – ou e-mail (dac@itamaraty.gov.br)

    O que acontece com os vistos que você possui no passaporte?

    Infelizmente todos os vistos que você porventura possuir no documento extraviado serão perdidos.

    E se você estiver em um país que exija visto para que você possa permanecer ou deixar o País, como proceder?

    Caso o visto seja necessário para permanecer no País ou continuar sua viagem, será necessário obter novo visto junto às autoridades locais. Neste caso, a Repartição Consular poderá fornecer assistência em relação aos órgãos locais a serem contatados pelo cidadão brasileiro com vistas a obtenção de novo visto.

    A perda de documento caracteriza situação de emergência?

    Não, o Ministério das Relações Exteriores ressalta que a perda de documento não configura risco à ida ou à segurança de cidadão brasileiro, não sendo considerado situação de emergência. Por isto, o pedido de novo passaporte deverá ser feito durante o horário de expediente. O MRE alerta que você não deve procurar o plantão consular.

    Bom, a gente torce para que você nunca tenha este tipo de problema durante uma viagem ao exterior mas, caso aconteça, esperamos ajudá-lo com estas informações. Para finalizar, uma orientação especial do Ministério das Relações Exteriores do Brasil:

    “Recomenda-se ao ter o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro, mantendo cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento e cópia simples de seu passaporte no cofre do hotel, para fins de eventual obtenção de novo documento de viagem.” (MRE/Itamaraty)

Os níveis do idioma alemão A1 a C2

Posted on

Na Alemanha, o nível dos cursos de alemão para estrangeiros é indicado por A1, A2, B1, B2, C1 e C2, de acordo com o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR), sendo A1 o nível para iniciantes e C2 para um nível linguístico alto. Veja adiante o que esses níveis significam.

A – Domínio elementar do idioma

A1 – Entender e saber empregar frases simples no idioma alemão.
Entender e saber empregar expressões cotidianas e frases simples. Saber fazer e responder perguntas simples do dia-a-dia. Saber apresentar-se e apresentar outras pessoas. Escrever mensagens pessoais curtas. Capacidade de comunicação simples.
A2 – Saber se comunicar em alemão em situações cotidianas.
Entender frases e expressões relacionadas a temas comuns, como à própria pessoa e à família, compras, trabalho, amigos, local onde vive. Capacidade de troca simples e direta de informações sobre coisas comuns em situações do dia-a-dia. Entender conversas breves, mensagens no telefone, informações do rádio ou anúncios simples de jornal. Comunicação suficiente para satisfazer as necessidades básicas.

B – Domínio autônomo do idioma

B1 – Saber conversar sobre diversos temas em idioma alemão simples.
Entender a língua padrão claramente articulada em assuntos conhecidos como escola, família, trabalho, lazer. Saber se expressar e compreender as pessoas durante viagens, em situações familiares e áreas de interesse pessoal. Capacidade de comunicação média, sabendo descrever experiências, acontecimentos, sonhos, esperanças e objetivos e explicar ideias, planos e intenções de uma forma compacta.
B2 ­– Saber interpretar textos mais complexos e conversar normalmente em alemão.
Entender a essência de textos mais complexos e saber expressar-se de forma clara e detalhada. Saber conversar sobre as coisas básicas de sua área profissional. Capacidade de comunicação fluente, sabendo falar normal com falantes nativos sem muito esforço de se expressar e ser compreendido.

C – Domínio competente do idioma

C1 – Entender textos difíceis em alemão e saber expressar-se de forma fluente e espontânea em praticamente todas as áreas.
Entender textos exigentes, variados e longos. Vocabulário suficiente para se expressar fluentemente e de forma estruturada, sem precisar “buscar palavras”. Capacidade de comunicação avançada suficiente para a vida social, profissional ou nos estudos em escola ou faculdade.
C2 – Nível de competência avançado – Saber se comunicar em alemão (quase) como um falante nativo.
Entender praticamente tudo o que lê ou ouve sem esforço, dominar bem a escrita e a fala. Capacidade de comunicação espontânea, muito fluente e exata, mesmo quando se trata de assuntos mais complexos, de forma muito próxima a um falante nativo.

Esses níveis correspondem mais ou menos aos níveis antigos:

Grundstufe – Nível básico (=A)
Mittelstufe – Nível médio (=B)
Oberstufe – Nível superior (=C)

Experiencia do leitor

Posted on

Como já havia citado, todos podem contribuir com dicas e compartilhar suas experiencias de viagem. Seguindo essa idéia, estou transcrevendo na integra o comentário de um dos nossos leitores, o Eduardo Magalhaes.

Dukla_Pass_battle_monument_2

“Olá Leo, boa noite.
Não pensei que fosse responder tão rápido…rsrs. Muito obrigado.
Legal que possa colocar o que escrevi como post. Eventualmente pode servir de estímulo a outros que tenham o mesmo interesse a irem ver o que estive visitando.

Para baratear e para ficar mais independente em termos de horários e para visitar às vezes locais onde excursões normais não vão nos períodos que desejo, procuro sempre fazer as visitas por conta própria. Só que, algumas dessas visitas a locais onde ocorreram episódios da II Guerra não são muito fáceis de se fazerem sozinho, ou porque o transporte não é simples, ou porque não se tem muita informação. Relato aqui três episódios.
O primeiro, em 1988, quando fui a Berchtesgaden, em maio ou junho daquele ano. Naquela época não tinha internet e não tinha as formas de comunicação que temos hoje. Havia muito menos informação à disposição e até menos preparo para se receber o turista nos locais. Então, fui a Berchtesgaden basicamente para visitar o que era conhecido como o Ninho das Águias, que é o Kehlsteinhaus. Cheguei à estação de trem, vindo de Munique, se não me engano, e dali mesmo, ou de bem perto, já partia o ônibus que sobe aquela estradinha estreita, que fica fechada no inverno, e que vai até um determinado ponto de onde se toma aquele elevador dourado até o Kehlsteinhaus. Fiz a visita ao Ninho da Águia, andei um pouco ali por aqueles caminhos nas montanhas que há lá em cima e depois encerrei, tomando o elevador de volta para o local do estacionamento onde ficam os ônibus. Por sorte, ali na descida do Kehlsteinhaus, conheci um cara, um alemão, que queria visitar também as ruínas do Berghof, que eu nem sabia que eram possíveis de serem visitadas. Fiquei logicamente animado e o acompanhei. Para tanto, tínhamos que saltar numa espécie de estação intermediária naquela estradinha estreita. Saltamos e então fomos a pé até o Gasthof Zum Türken e mais adiante entramos num pedaço do mato ali exatamente onde era o Berghof e depois seguimos mais adiante por uma estradinha local, dando como que uma volta, visitando o Platerhoff, Kaserna dos SS, local onde era a casa de Göring, o que sobrou, e uma ou outra coisa a mais. Naquela época, tínhamos câmeras fotográficas, mas não era essa febre que é hoje em dia com fotografia de tudo o que é jeito, celular e etc… Tenho algumas fotos do Kehlsteinhaus e até ali das ruinas do Berghof, também do Platterhof, mas não com o detalhamento que eu hoje gostaria de ter. Acabei não visitando os bunkers, que na época acho que nem eram abertos a visitas e não fiz o caminho a pé até a Teehaus, que hoje me parece possível ainda de se fazer, com alguns pontos podendo ser reconhecidos, se compararmos com os filmes de época. Esse tipo de visita uma excursão não vai fazer. Nenhuma excursão, naquela época, ia às ruínas do Berghof. E, se não tivesse encontrado aquele alemão ali durante a visita ao Kehlsteinhaus, não teria visto as ruínas do Berghof.
No ano passado, quando estive na Europa, no caminho de trem de Münster para Berlin, resolvi visitar o castelo de Wewelsburg, numa localidade meio isolada relativamente perto da cidade de Padderborn. Saltei do trem em Padderborn e tomei um ônibus para Wewelsburg. Levou uns 40 ou 50 minutos até um ponto de ônibus que fica numa vila há uns 15 ou 20 minutos a pé do castelo. A visita foi ótima. O castelo foi uma espécie de escola ou retiro espiritual da SS. Há algo de místico naquele castelo. Hoje parte dele é um albergue da juventude e a outra parte é um museu. Visita excelente. Depois, na volta, novamente os 20 minutos a pé até o ponto de ônibus e lá uma espera sozinho de 1 hora ou um pouco mais pelo ônibus que me levaria de volta a Padderborn, para ainda no mesmo dia seguir caminho de trem para Berlin. Essa visita não foi propriamente difícil, mas também não foi muito tranquila de se fazer, por causa da logística do transporte. No ponto de ônibus lá na cidadezinha não tem ninguém, nem para perguntar se é ali mesmo que devemos aguardar o ônibus que vai na direção de Padderborn, você fica preocupado com a questão do horário, até porque o ônibus só passa lá um certo número de vezes por dia, razão pela qual a visita ao castelo tinha, no meu caso específico, de se encaixar nos horários mais restritos do transporte, horários esses que estavam, portanto, um pouco apertados por causa da sequencia da minha viagem para Berlin ainda no mesmo dia. Visita boa, mas que há de se ter um certo desprendimento para se fazer sozinho, sem uma excursão. Local um pouco isolado.

Por fim, na Rússia, há dois meses, já foi um pouco diferente. A infraestrutura de transporte é muito inferior à da Alemanha. Em Stalingrado, contando também o pouco tempo que eu ficaria na cidade, apenas dois dias, considerando ainda as distâncias entre os pontos interessantes a serem visitados, preferi contratar uma guia local particular. Queria ver a cidade em si, algumas ruínas e monumentos e memoriais nos locais de batalha dentro da cidade, mas desejava também visitar algumas cidadeszinhas onde houve batalhas nas chamadas “estepes” russas, quando os alemães se aproximavam para tentar tomar Stalingrado. Foi muito legal, visitei vários locais interessantes, embora nem todos necessariamente bonitos do ponto de vista estético, mas foi muito bom. Em Stalingrado e arredores, sem a guia local, não teria sido possível fazer as visitas que fiz em apenas dois dias. Com a guia e com o transporte que ela proporcionou, pude visitar muitos locais de batalhas na cidade de Stalingrado em si, bem como visitar outras localidades, como Zapadnovka, Peschanka, Kalach on Don, Pyatmorsk e Golubinskaya. Não foi muito barato, mas não tinha outro jeito, uma vez que queria ir aos locais das batalhas, tanto na cidade de Stalingrado, quanto em localidades próximas, inclusive onde houve o cerco russo aos exércitos de von Paulus, onde os exércitos russos, num movimento de pinça, isolaram von Paulus. O cerco deu-se em Pyatmorsk, perto de Kalach on Don. Há um monumento no local. Visita ótima a Stalingrado e arredores, mas impossível de se ver isso tudo se tentar-se usar o transporte normal da cidade. Logística, inclusive também por conta da língua, bastante complicada para se fazer esse passeio sozinho.
Você me deu sugestões ótimas: o Memorial da Segunda Guerra em Caen, a base de submarinos de Lorient, o rio Waal em Nimegue, parte da , que gerou o filme Uma Ponte Longe Demais, que é a ponte de Arnhem, que os aliados não alcançaram e foram massacrados, e Bastogne, parte da batalha na floresta das Ardenas, numa das últimas contra ofensivas dos alemães na guerra, pois desde o desembarque do dia D que mais se defendiam do que atacavam. A verdade é que não há tempo de se fazer tudo. Há também ruínas da Linha Maginot, que gostaria de visitar. Mas, dessa vez, acho que será possível talvez somente o Memorial de Caen. Vamos ver…..

Você mencionou que a Bavária foi pouco bombardeada e com isso há vários locais também não muito conhecidos ou não muito visitados, mas que têm significado no período nazista e que de certa forma estão preservados, ou como memoriais ou como museus ou como ruínas mesmo. Você poderia indicar alguns desses lugares ? Na Bavária, relacionados à II Guerra, visitei Munique e vou voltar, Berchtesgaden, que também voltarei, e Nürnberg, que também voltarei, além do campo de Flossenbürg, que não voltarei. Mas, acredito que haja outros locais bastante interessantes para serem visitados e que eventualmente não sejam muito divulgados.
Fico antecipadamente grato e desculpo-me pela longa mensagem.
Abraços
Eduardo”

Eduardo, mais uma vez, obrigado.
Prometo escrever outra materia sobre o tema II Guerra e os locais poucos explorados. Nao se preocupe.
Seja bem-vindo sempre com novos textos e ideias para o blog.
Abracos.

Niedaltdorf-kriegerdenkmal

Rota Alpina Alemã – uma viagem fabulosa pelos picos dos Alpes

Posted on

Sonntagshorn_von_Norden

A Rota Alpina Alemã – um verdadeiro cinema drive-in! Seja bem-vindo ao um passeio panorâmico cheio de curvas, ao longo de 450 km no cenário deslumbrante das montanhas do sul da Baviera, de Lindau, no Lago de Constança, até Berchtesgaden, no lago Königssee. Esse roteiro reúne uma espécie de “seleção nacional” do turismo alemão, seja de carro, pedalando, ou caminhando.

O melhor das montanhas da Baviera são os lugares onde elas mostram o que há de mais típico nessa região, onde há músicos alegres tocando, gente sentada à mesa, cada um com sua caneca de cerveja, e onde os costumes ainda são preservados – e esses lugares são perfeitos também para dirigir. Se tudo isso ainda vier acompanhando de vistas formidáveis, com a sensação de que você só precisa dar um pulo para chegar do outro lado da cordilheira, então pode ter certeza de que você se encontra na Rota Alpina Alemã, em pleno salão de festas dos Alpes.

landschaft-winter-002

Como numa propaganda de chocolate

Sua companhia durante viagem serão mais de 20 lagos cristalinos nas montanhas, castelos altivos, palácios saídos dos contos de fadas, mais de 60 estâncias terapêuticas, desfiladeiros, vales, centenas de picos de montanha e campos ensolarados, onde as leiterias produzem queijos deliciosos. A rota é também um convite para desfrutar de uma culinária de altíssima qualidade e da atmosfera nos chalés, nas cervejarias que servem ao ar livre ou nos cafés aconchegantes à beira dos lagos. Mas o esporte também não fica atrás, com atividades como rafting, todo tipo de esporte aquático, parapente, ciclismo, excursionismo e escaladas ou, naturalmente, os esportes de inverno nas diversas pistas de esqui.

dsc_0082

Impossível pedir mais

Ao longo da rota, as hospedagens vão desde férias na fazenda até hotéis de luxo. Cercada de uma enorme riqueza natural e cultural, a rota explora atrações mundialmente famosas, como o pico de Zugspitze, os castelos reais perto de Füssen, os mosteiros Ettal e Benediktbeuern, o lago Chiemsee, o patrimônio mundial na igreja Wieskirche, Watzmann, St. Bartholomä no lago Königssee, o Parque Nacional dos Alpes em Berchtesgaden e muito mais.

Alpen_Bayern_Aussicht_Tegernsee_BaumgartenschneidQuem já esteve aqui sabe disso!

É recomendável parar de vez em quando, ou melhor, frequentemente para apreciar esse panorama espetacular oferecido pelos Alpes. Afinal, há poucos lugares onde é possível chegar de carro a uma paisagem digna de um cartão postal, como aqui. Na verdade, uma viagem de curta duração é pouco para a Rota Alpina Alemã!

ROTA ALPINA ALEMÃ

EXTENSÃO: 450 km

DESTAQUES:
Berchtesgaden: Watzmann, Parque Nacional,
Chiemsee: lago Herrenchiemsee, ilha Fraueninsel, mosteiro
Ettal: mosteiro
Füssen: castelo Neuschwanstein
Lindau: Lago de Constança,
Königssee: St. Bartholomä, capela Eiskapelle
Oberammergau: festival Passionsspiele
Garmisch-Partenkirchen: Zugspitze
Pfaffenwinkel: igreja Wieskirche

www.deutsche-alpenstrasse.de

NÃO VIAJO PORQUE SOU RICO, VIAJO PORQUE ME PROGRAMO

Posted on

“Nossa, como você viaja tanto, deve ser rico”. Eu já perdi a conta de quantas vezes ouvi essa frase ou algo parecido e eu respondo: Não sou rico, não tenho um super salário, mas sou organizado e me planejo.

A vida é feita de escolhas: se sair de balada é o que você mais gosta de fazer, você de certa forma trabalha para isso. Se você curte cinema e coleciona DVDs e Blu-rays, você trabalha para isso. Viajar é a minha maior paixão, essa é a minha prioridade.

Viajar também não significa luxo. Ir para Londres não quer dizer que você ficará hospedado no Ritz, não quer dizer que você voará de primeira classe ou que vai comer nos restaurantes mais caros. As pessoas tem uma concepção um pouco errada de viagens.

Todas as minhas viagens eu começo a me planejar com até 7 meses de antecedência, pesquisando lugares, acompanhando o preço das passagens e hotéis. Monto um orçamento base para saber quanto eu vou precisar para a tal viagem. Divido esse valor pelos meses até data da viagem e assim eu sei de quanto dinheiro vou precisar economizar todos os meses para poder viajar.

Se eu preciso economizar X dinheiros por mês, eu não vou ao cinema toda semana, não vou comer no meu restaurante favorito todo sábado. Já parou pra pensar quanto custa no fim do mês aquele cafezinho com um docinho depois do almoço? Faça as contas!

Não falo de abrir mão das coisas boas da vida e “deixar de viver” para juntar dinheiro, falo de saber equilibrar os forninhos para em sete meses, estar embarcando rumo ao destino dos sonhos. Se você é como eu, vai pensar muito antes de comprar um iPhone 6, sabendo que com esse dinheiro dá para comprar uma passagem para qualquer canto do mundo.

É muito comum ir chegando a data das férias e você decidir para onde vai viajar em cima da hora. Erro fatal! Os preços estarão lá em cima e como você não se planejou, vai ter que parcelar a viagem em sabe-se lá quantas vezes. Aquela dívida no cartão de crédito vai te acompanhar por meses e te impedir de poupar para sua próxima viagem.

Viajar com regularidade requer foco e objetivo. Essa é a sua prioridade? A vida é cheia de escolhas e se viajar é a sua prioridade, comece a pensar mais nisso antes de ter aquele descontrole no shopping e sair de lá com bolsas e mais bolsas de compras, trocar de celular a cada 6 meses ou mergulhar em dívidas para andar de carro novo.