RSS Feed

Category Archives: Fora de Tópico

Como obter a cidadania alemã

Posted on

Você é descendente de alemães ou mora na Alemanha e quer saber se tem direito a passaporte alemão? Veja o que informam as representações diplomáticas e o governo alemão.

Reisepass mit Fingerabdrücken

Princípio do “ius sanguinis”

A nacionalidade alemã é transmitida pela filiação. Em geral, o local de nascimento não é relevante. Basta que o pai ou a mãe tenha passaporte alemão. Em caso de os pais não serem casados e apenas o pai ter passaporte alemão, o filho tem de ser reconhecido como legítimo antes de completar 23 anos.

Ter pai alemão…

…que, no momento do nascimento do filho, era casado com a mãe da criança ou que, no momento do nascimento do filho, não era casado com a mãe da criança nascida depois de 30/06/1993 e se tiver sido feito um reconhecimento de paternidade válido segundo a legislação alemã.

Ter mãe alemã…

…que, quando o filho nasceu, era casada com o pai da criança (nascida a partir de 01/01/1975) ou que, quando o filho nasceu, era casada com o pai da criança nascida entre 01/04/1953 e 31/12/1974, e a mãe prestou uma declaração a uma autoridade ou representação alemã de 01/01/1975 a 31/12/1977 (comprovante), ou que, quando o filho nasceu, não era casada com o pai da criança.

Nova regulamentação

Em caso de nascimento fora da Alemanha, não mais se adquire a nacionalidade alemã através do nascimento quando o pai/a mãe alemã(o) nasceu fora da Alemanha depois de 31/12/1999 e tem sua residência fora da Alemanha. Exceto se o nascimento do filho é declarado pelo pai/pela mãe alemã(o) à representação alemã competente no prazo de um ano (declaração de nascimento).

Naturalização facilitada

Em 2012, foram criadas condições privilegiadas de naturalização para quem nasceu antes de 01/01/1975 como filho de mãe alemã casada com pai estrangeiro, se no nascimento do filho a mãe tinha nacionalidade alemã ou a havia perdido por ter se casado com um estrangeiro segundo lei em vigor na época, ou havia perdido a nacionalidade alemã antes do casamento por expatriação entre 1933 e 1945. Ou…

E ainda

… pessoas que nasceram antes de 01/07/1993 como filho de pai alemão e mãe estrangeira, sem serem casados, e se o pai, no dia do nascimento do filho, possuía a nacionalidade alemã ou teria tido o direito à naturalização, e desde que o reconhecimento ou a confirmação da paternidade tenha acontecido efetivamente antes do filho completar 23 anos.

Mas, atenção…

… mesmo se tenha antepassados alemães, é preciso confirmar se eles não perderam a nacionalidade alemã. De 01/01/1871 a 31/12/1913 não se podia morar dez anos fora da Alemanha sem inscrição em um consulado alemão. Em consequência, também a esposa e os filhos menores de idade (na época, menores de 21 anos) também perdiam automaticamente a nacionalidade alemã se morassem no exterior.

Em dia com serviço militar

Um alemão nascido entre 1871 e 1885 com residência permanente fora da Alemanha, que tinha obrigação de prestar serviço militar, perdia a nacionalidade em 01/01/1916 se não tivesse apresentado, entre 01/01/1914 e 01/01/1916, sua decisão definitiva de prestar o serviço militar.

Aquisição de outra nacionalidade

Um alemão perde a nacionalidade ao adquirir outra (exceto da UE ou Suíça), caso a aquisição ocorra com base num requerimento de naturalização. Ele não perde a alemã se tiver recebido, antes da aquisição da nacionalidade estrangeira, uma autorização para ficar com a alemã (esta autorização só vale por dois anos). Até 31/12/1999 só era possível caso não tivesse sua residência habitual na Alemanha.

Exoneração, renúncia ou adoção

Um alemão é exonerado da nacionalidade alemã por requerimento próprio, se ele tenha solicitado uma nacionalidade estrangeira e recebido a confirmação de que esta lhe será concedida. Um alemão pode renunciar à sua nacionalidade alemã se possuir várias nacionalidades.Ou se acontecer uma adoção, segundo a legislação alemã, de um menor de idade alemão por um estrangeiro desde 01/01/1977.

Legitimação por estrangeiro, casamento ou Forças Armadas

Até 31/03/1953, um estrangeiro que legitimasse um filho alemão de pais não casados resultava na perda da nacionalidade alemã. | Pelo casamento de uma alemã com um estrangeiro antes de 23/05/1949. No período de 23/05/1949 a 31/03/1953, só se ela não ficasse apátrida. | Por entrar nas Forças Armadas ou associação armada similar de outro Estado, sempre que o alemão também tiver a outra nacionalidade.

Renaturalização é possível

Antigos cidadãos alemães cuja nacionalidade alemã foi retirada entre 30/01/1933 e 08/05/1945 por motivos políticos, raciais ou religiosos podem requerer a aquisição da nacionalidade alemã. O mesmo também se aplica aos seus descendentes que, se não fosse a expatriação da época, teriam adquirido a nacionalidade alemã.

Certificado de nacionalidade alemã

Para esclarecer se você é cidadão alemão, você pode solicitar o certificado de nacionalidade alemã emitido pela Agência Federal de Administração (BVA). Ele é uma prova juridicamente válida da sua nacionalidade alemã. O processo está sujeito a taxas e demora em torno de dois anos. O requerimento deve ser feito nas representações alemãs competentes.

Como traçar a ascendência?

As seguintes instituições podem ajudar na pesquisa do navio, da data e do local da entrada do seu antepassado no Brasil (elas também emitem certificados de entrada no país): Arquivo Nacional (www.arquivonacional.gov.br)
Memorial do Imigrante (www.memorialdoimigrante.sp.gov.br)
Arquivo Público do Espírito Santo (www.ape.es.gov.br) e Staatsarchiv Hamburg (poststelle@staatsarchiv.hamburg.de)

Pelo nascimento na Alemanha

Filhos de pais estrangeiros nascidos na Alemanha após 01/01/2000 podem receber também a cidadania alemã. A condição é que pelo menos um deles já resida há mais de oito anos na Alemanha e tenha visto permanente. Entre 18 e 23 anos, os jovens têm que optar por uma nacionalidade.

Dupla cidadania

Em princípio, é preciso abdicar da outra nacionalidade ao se tornar cidadão alemão. Mas há exceções. A dupla cidadania é aceita em casos de países que não liberam os cidadãos de sua nacionalidade, como o Brasil, ou quando, por exemplo, o outro Estado impõe condições inaceitáveis, como taxas exorbitantes para a liberação da nacionalidade.

Naturalização por tempo na Alemanha

Quem mora no país pode se naturalizar se:
– tem visto permanente para o país;
– mora de forma permanente e legal no país há pelo menos oito anos (dependendo do caso, pode ser menos);
– garantir o sustento próprio e dos dependentes;
– entender o alemão oral e por escrito (Nível B1 do quadro europeu de referência)
Mais critérios na próxima foto

E também…

…se você
– conhece a ordem jurídica e social da Alemanha, bem como as condições de vida no país
– nunca foi condenado por um delito grave
– se comprometer a respeitar a Constituição alemã
– está disposto a renunciar à sua nacionalidade original

Como pedir a cidadania?

O pedido de naturalização pode ser feito por pessoas maiores de 16 anos junto ao departamento de migração da cidade onde mora. Ele custa 255 euros por pessoa. Para filhos menores de idade cujo pedido é entregue junto ao dos pais, o preço é 51 euros.

Teste para a cidadania

É preciso acertar 17 do questionário com 33 perguntas escolhidas de uma lista de 310 questões sobre vários temas inerentes à Alemanha. Três perguntas se relacionam ao estado onde se vive.
O teste tem de ser feito em 1 hora e custa 25 euros.
Está isento quem tem certificado de conclusão do nível médio na Alemanha ou problemas físicos, mentais, psicológicos, de idade ou alguma deficiência.

Documentos necessários

Além do formulário preenchido, mas ainda não assinado, em geral são necessários foto, currículo, passaporte comprovando o visto permanente, certidão de nascimento e de casamento, comprovante dos conhecimentos de alemão, comprovante de ter passado no teste para a cidadania, comprovante de rendimentos dos últimos três meses e comprovante de dispensa do serviço militar.

Sites de consulta

Para mais informações sobre como obter o passaporte alemão, consulte:
– as representações da Alemanha no Brasil (http://www.brasil.diplo.de)
– o site do governo alemão (http://www.bundesregierung.de/Content/DE/Publikation/IB/wege-zur-einbuergerung.pdf)

By DW

 

Sites interessantes para aprender alemão, fazer intercâmbio, estudar, trabalhar fora, viajar

Posted on

  • Trabalhar na Alemanha?

1. Agencias de recrutamento que recomendo mandar o seu CV:

1) http://www.realstaffing.com/
2) http://www.dis-ag.com/dis/Pages/start.aspx
3) http://www.triga-consulting.de/
4) http://www.hays.de

2. CV no estilo europeu: https://europass.cedefop.europa.eu/pt/documents/curriculum-vitae

– Etapas para procurar emprego:

https://backpackingalone.wordpress.com/2014/08/22/procurando-emprego-na-alemanha-inscricoes-para-vagas-de-trainee/

– Montando o CV:

1) https://backpackingalone.wordpress.com/2014/05/30/modelo-de-curriculo-na-alemanha-montar-cv/

2) https://www.youtube.com/watch?v=B3x50BAuEfM&list=UUqZriPiNZhUtNQxzxdfVdsQ

– Entrevista de emprego com estresse:

https://backpackingalone.wordpress.com/2014/05/30/entrevista-de-emprego-na-alemanha/

– Entrevista de emprego por telefone:

https://www.youtube.com/watch?v=QYOuGhpDyXA&list=UUqZriPiNZhUtNQxzxdfVdsQ&index=8

– Dinâmica em grupo (Assessment Center):

https://backpackingalone.wordpress.com/2014/05/30/dinamica-em-grupo-na-alemanha-assessment-center/

E fazer perfil no XING e no LinkedIN. Se estiver procurando emprego coloque como posição atual Job-seeking. Há muitos caça-talentos nesses sites.

3. Agencias e sites de emprego na ALEMANHA:

4. Empregos e conselhos por grupos religiosos (principalmente em pedagogia, enfermagem):

http://caritas.de (Ig. Católica)

• http://www.invia.org (Ig. Católica – comunidade para mulheres)

http://diakonie.de (Ig. Evangélica)

5. Empregos e conselhos por blogs e vlogs:

– http://www.batatolandia.de/category/trabalhar-na-alemanha/

– https://www.youtube.com/watch?v=hJkPxn_DV2s

https://www.youtube.com/watch?v=KWp2kawyUls&list=UUqZriPiNZhUtNQxzxdfVdsQ

 

  • Ano Social (Freiwillige Soziale Jahr (FSJ):

– https://www.youtube.com/watch?v=9rLueqQSwIg&index=1&list=PL_k4uoNZ_S42ldQwmkRnaYnhmP545VUKs (Isabela Campos)

– http://www.pro-fsj.de/

VIAGENS:

  •  Vôos baratos na Europa.

http://www.ryanair.com

http://www.easyjet.com

  • Trens na Alemanha

http://www.bahn.de/international/view/en/index.shtml

  • Viajar pela Europa por 1, 2, 3 meses com 1 único ticket! (para quem mora na Europa) – InterRail

http://www.interrail.eu/

  • Viajar pela Europa por 1, 2, 3 meses com 1 único ticket! (para quem mora FORA da Europa) – EuRail

http://www.eurail.com/

https://backpackingalone.wordpress.com/2011/01/31/interrail-eurail-pass-tips-dicas-para-os-tickets-interrail-eurail/

https://backpackingalone.files.wordpress.com/2011/01/eurail_pass_ticket2.pdf

  • Passagem de trem comum ou Eurail Pass?

http://www.seat61.com/Railpass.htm

OUTROS:

  • Site de consultoria profissional tema Brasil-Alemanha, D-A-C-H, etc. (Connex Consulting):

http://www.connexconsulting.de/

  • Tipos de visto para vir/ir para a Alemanha:

http://meinelebensweise.blogspot.de/2013/03/pesquisa-sobre-visto-para-alemanha.html

  • Site com dicas e informações sobre Brasileiros na Alemanha.

http://www.brasileiros-na-alemanha.com/portal/index.php

  • Livro sobre a cultura alemã e viver na Alemanha escrito por Sandra Santos:

http://mineirinhanalemanha.de/

  • Livro sobre choque cultural na Alemanha escrito por Daniela Schülke:

– http://www.clubedeautores.com.br/book/160234–Choque_Cultural#.U6NNFrHOzZA

– http://www.alivraria.de/shop/article_Soc51/Choque-cultural—Brasil-x-Alemanha

  • Revista online Brasileiros Mundo a Fora escrita por Claudia Bömmels (recomendo ler as entrevistas e dicas valiosas!!!):

http://issuu.com/claudiamullerboemmels

Blogs consultados e recomendados:

–> Caso encontre outros sites interessantes, poste aqui nos comentários e explique um pouco sobre o assunto do site.🙂

 

By Back (Raquel)

O curso de alemão online e sem custos!

Posted on

Mnchen

DICA!! Se você gosta do idioma alemão e tem interesse em aprendê-lo não pode perder esta oportunidade! O site Deutsch-lernen.com oferece lições gratuitas da língua tanto para o nível inicial quanto avançado! E todos os conteúdos são acompanhados por exercícios e áudio. O curso é online e sem custos! Aproveite! http://www.deutsch-lernen.com/

Passaporte brasileiro: 8 dúvidas que você também pode ter!

Posted on

o-PASSAPORTE-facebook

1. Passaporte emitido pelo correio também é válido por 10 anos

Uma informação importante e que pouca gente sabe sobre o novo passaporte é que o documento – quando solicitado via correio – também terá a validade de 10 (dez) anos. Antes o documento solicitado por via postal era emitido com um prazo de validade menor (apenas 3 (três) anos) do que o documento solicitado pessoalmente.

Desde o final de 2015, com a emissão do novo modelo, a validade do documento passou a ser a mesma. Veja mais informações no artigo Passaporte brasileiro solicitado via correio terá validade de 10 anos!

2. Passaporte pode ser emitido em qualquer repartição consular

Outra informação interessante e que, acredito, algumas pessoas também não tenham conhecimento é o fato de que a emissão do passaporte não depende de jurisdição consular. Isto quer dizer que você pode solicitar o passaporte em qualquer repartição consular brasileira, independente do seu local de residência.

3. O passaporte brasileiro pode ser emitido mesmo havendo pendências eleitorais

Esta é uma dúvida muito comum dos brasileiros que residem no exterior. Muitos cidadãos não se preocupam em transferir o título eleitoral para o país onde passam a residir – ou, em outros casos, não exercem o direito do voto por três vezes consecutivas – e acabam por ter o título eleitoral cancelado. O ideal é que isto não aconteça mas, caso aconteça, ainda assim o documento é emitido pela repartição consular.

Porém, o(a) solicitante é avisado(a) de que, ao chegar ao Brasil, ele(a) deve comparecer ao Cartório Eleitoral para resolver a pendência e regularizar a situação perante a Justiça Eleitoral.

4. Não há diferença entre o valor do passaporte emitido presencialmente ou via correio

O valor cobrado para a emissão do passaporte pela repartição consular, tanto presencial quanto via correio, é o mesmo. Mas, é importante lembrar que quem solicita o documento via postal deve arcar com outros gastos com envelope e taxa cobrada pelas empresas de correio de cada país para envio da documentação, além de eventuais taxas que possam ser cobradas pelos bancos para efetuar o pagamento.

5. O nome dos pais é impresso no documento de viagem

Exatamente, desde o final de 2015, o novo passaporte para menor vem com filiação. Porém, nos passaportes emitidos no exterior o nome dos pais aparece na etiqueta colada na página 4, ao contrário do emitidos no Brasil, onde aparece logo após os dados do menor.

6. É possível incluir a autorização de viagem do menor durante a emissão do passaporte

Viajar com menor de idade nem sempre é a coisa mais simples do mundo. Na verdade, o problema não é nem para entrar no Brasil mas, sim, para deixar o país. A fiscalização brasileira, em geral, é bastante rigorosa quando se trata de deixar o Brasil com menores, sem a presença de ambos os pais ou responsáveis.

Há diversas maneiras de solucionar a questão mas, sem dúvida, a mais simples é incluir a autorização no documento de viagem do menor.

7. A validade do passaporte do menor varia conforme a faixa etária

Ao contrário do que acontecia antes, a validade do passaporte para menor agora depende da idade do mesmo, conforme a tabela abaixo:

Idade Validade
0 a 1 ano incompleto 1 ano
1 ano completo a 2 anos incompletos 2 anos
2 anos completos a 3 anos incompletos 3 anos
3 anos completos a 4 anos incompletos 4 anos
4 anos completos a 18 anos incompletos 5 anos
8. Não é possível embarcar com destino ao Brasil com passaporte brasileiro vencido

Outra dúvida muito frequente dos cidadãos brasileiros que vivem no exterior é se podem ou não embarcar para o Brasil com passaporte vencido e renovar no Brasil. A resposta para esta questão é não! As empresas áreas não podem autorizar embarque sem documento de viagem válido. Assim como em relação à questão do título eleitoral, o ideal é estar com o passaporte brasileiro em dia.

Somente em caso de extrema urgência de embarcar é que você poderá solicitar uma Autorização de Retorno ao Brasil (ARB).

Um dos imprevistos mais desagradáveis em uma viagem internacional é, sem dúvida alguma, perder seus documentos, principalmente quando este documento é nada mais, nada menos, do que o seu passaporte. Seja porque você foi furtado, roubado (sim, isto também acontece lá fora) ou porque você perdeu o documento em algum lugar, a falta do documento é, no mínimo, uma situação muito chata e que muitas vezes deixa a pessoa desorientada e sem saber o que fazer.

O que fazer se extraviar seu passaporte durante uma viagem ao exterior?

  1. Procurar a delegacia de polícia mais próxima do local onde o documento foi roubado ou extraviado para fazer a denúncia por roubo ou extravio, ou seja, o boletim de ocorrência (BO);
  2. Solicitar um novo passaporte ou a Autorização de Retorno ao Brasil (ARB).
  3. Dirigir-se à Repartição Consular Brasileira mais próxima (consulado ou embaixada), portando o BO e o protocolo de solicitação de passaporte ou da ARB.
    O que é Autorização de Retorno ao Brasil (ARB)?

    A Autorização de Retorno ao Brasil é um documento que permite ao seu titular fazer apenas uma viagem direta ao Brasil. Inclui-se no conceito de viagem direta os voos com escala em aeroportos internacionais, em que o passageiro permanece na área de embarque. Cabe, exclusivamente, à autoridade consular decidir sobre a emissão ou não da ARB. O Setor Consular pode emitir gratuitamente Autorização de Retorno ao Brasil em um prazo de 3 (três) dias úteis.

    Como você pode localizar a repartição consular mais próxima de onde se encontra?

    No Portal Consular há uma lista completa de todas as Repartições Consulares do Brasil no mundo. Se a cidade onde você estiver possuir ambos, embaixada e consulado, dê preferência ao Consulado. E se você estiver em uma cidade sem representação brasileira, será necessário viajar até a localidade mais próxima onde exista uma repartição consular do Brasil.

    E se você não conseguir entrar em contato com nenhuma Repartição Consular Brasileira, o que poderá fazer?

    Em último caso, você poderá entrar em contato com o Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) do Ministério das Relações Exteriores:

    – por telefone: (61) 8197-2284 ou (61) 2030-6456

    – ou e-mail (dac@itamaraty.gov.br)

    O que acontece com os vistos que você possui no passaporte?

    Infelizmente todos os vistos que você porventura possuir no documento extraviado serão perdidos.

    E se você estiver em um país que exija visto para que você possa permanecer ou deixar o País, como proceder?

    Caso o visto seja necessário para permanecer no País ou continuar sua viagem, será necessário obter novo visto junto às autoridades locais. Neste caso, a Repartição Consular poderá fornecer assistência em relação aos órgãos locais a serem contatados pelo cidadão brasileiro com vistas a obtenção de novo visto.

    A perda de documento caracteriza situação de emergência?

    Não, o Ministério das Relações Exteriores ressalta que a perda de documento não configura risco à ida ou à segurança de cidadão brasileiro, não sendo considerado situação de emergência. Por isto, o pedido de novo passaporte deverá ser feito durante o horário de expediente. O MRE alerta que você não deve procurar o plantão consular.

    Bom, a gente torce para que você nunca tenha este tipo de problema durante uma viagem ao exterior mas, caso aconteça, esperamos ajudá-lo com estas informações. Para finalizar, uma orientação especial do Ministério das Relações Exteriores do Brasil:

    “Recomenda-se ao ter o máximo de cuidado com seu passaporte brasileiro, mantendo cópia autenticada de documento de identidade e de certidão de nascimento e cópia simples de seu passaporte no cofre do hotel, para fins de eventual obtenção de novo documento de viagem.” (MRE/Itamaraty)

Trabalhando “Lá Fora”

Posted on

how_to_find_a_job_abroad

Trabalhar lá fora (no exterior) é um assunto muito importante quando você está traçando seu planejamento. Afinal, a vida em outros países pode sair bem caro e se sustentar apenas com as economias pode se tornar uma tarefa difícil.

Existem alguns tipos de vistos que permitem trabalhar no exterior, cada país destino tem suas regras específicas para o país de origem, do estrangeiro. Alguns brasileiros, acabam trabalhando ilegalmente no país, as vezes por falta de informação, pois não conhecem as possibilidades de trabalhar de forma legal. Trabalhar ilegalmente não é considerado uma opção, no meu ponto de vista. Quando você trabalha ilegal, geralmente, você acaba sofrendo algum tipo de exploração pelo empregador, pois o próprio sabe que ele não pode ser denunciado à as autoridades. Fora que se você for pego por agentes de imigração trabalhando ilegalmente, você pode ser preso e será deportado para o Brasil sem direito de pegar o seus pertences antes. A pessoa que é deportada ela sempre vai carregar esse o histórico para o resto da vida, ou seja, toda vez que você tentar entrar em algum país, os agentes de imigração vão saber que você foi deportado no passado e vão decidir se  deixarão ou não você entrar no país. Não é preciso pensar muito para chegar à conclusão que o não é quase certo.

Mas se você não quer se arriscar, existem vistos que permite você trabalhar no país, como alguns tipos de visto de estudante (student visa), visto de trabalho nas férias (working holiday), visto de trabalho (working visa) e visto permanente (green card ou permanent residency).

Alguns países como Austrália e Canadá permitem que estudantes trabalhem enquanto estão matriculados nas escolas locais. Esse visto geralmente é limitado permitindo apenas trabalhar meio período (20 horas semanais). Ao contrário que todas as agências de intercâmbio vão tentar te convencer, não é fácil conseguir emprego com esse visto, pelo simples fato que empresas não estão interessadas em estudantes estrangeiros, para trabalhar meio período. Eles sempre procuram trabalhadores locais para este tipo de emprego, mas o visto pode servir para empregos em cafés, restaurantes e quiosques na qual não exige uma longa carga horária de trabalho.

O visto de trabalho nas férias (working holiday) é permitido em alguns países e apenas para alguns países de origem. Por exemplo, na Austrália, o working holiday visa é permitido para os estrangeiros dos países como Belgica, Canadá, Alemanha, Itália, Japão, Coreia, Suiça e Reino Unido. No caso dos brasileiros, quem tem a família de origem européia, como Itália ou Suiça, o brasileiro pode primeiro requerir a dupla cidadania e tendo em mãos o passaporte europeu, pode aplicar para o working holiday visa.

O visto de trabalho, depende de uma empresa local querer te patrocinar o visto (o famoso sponsorship). O processo tem que ser aberto pelos dois lados, seu e o da empresa. Após a empresa te fazer uma oferta de emprego, ela começa um processo na imigração, declarando que precisa “importar” um profissional que requer um visto de trabalho. Ao mesmo, tempo você entra com um processo na imigração do país, declarando que aceita a oferta e gostaria de trabalhar nesta empresa. Se o processo for feito corretamente e todos os documentos necessários forem entregues no prazo estipulado, o departamento de imigração do país emite um visto de trabalho em seu nome. Apesar de você estar apto a trabalhar no país, esse visto vem com algumas limitações. Você passa a ter permissão de trabalhar apenas na empresa que disponibilizou o visto. Outro limite, é que geralmente este visto é válido por alguns anos (de 2 a 4), caso essa data de validade expirar, a empresa deve renovar o seu visto na imigração. Se você desejar trocar de emprego, a nova empresa vai ter que transferir o seu visto na imigração e o prazo de expiração vai começar a partir da data de emissão do novo visto.

O visto permanente, (o famoso e tão almejado green card americano ou permanent residency), é o visto mais completo que uma pessoa pode obter antes de virar cidadão do país estrangeiro, com esse visto você pode morar por tempo indeterminado e trabalhar para qualquer empresa de sua escolha. Ao contrário de que muitos pensam, não é preciso ter obtido nenhum visto antes de aplicar para o visto permanente, pode se aplicar para residência permanente do Brasil, você apenas precisa preencher os requerimentos do visto que varia de país para país. Na Austrália, por exemplo, exite uma lista de profissões que o país tem deficiência e se você for graduado ou tiver experiência comprovada em alguma das profissões dessa lista, você é um candidato a aplicar para o visto do Brasil. Obviamente, esse não é o único requisito para ser considerado apto a aplicar para o visto.

Entre no site da imigração dos país que deseja viajar e veja os vistos disponíveis para a sua situação e quais são os caminhos para conseguir trabalhar LEGALMENTE, assim conseguindo a tão desejada experiência internacional, que as empresas brasileiras tanto prezam na hora de uma seleção.

Abaixo alguns sites de imigração de países dos países que permitem estudantes trabalhar.

Canadá – http://www.cic.gc.ca/english/study/index.asp

Austrália – http://www.border.gov.au/Trav/Stud

Estados Unidos (trabalhar no campus)- http://www.uscis.gov/working-united-states/students-and-exchange-visitors/students-and-employment

As dez cervejas mais populares na Alemanha

Posted on

Com suas quase 1.400 cervejarias, a Alemanha é um dos maiores consumidores de cerveja do mundo, atrás apenas dos tchecos e pertinho dos austríacos. Conheça as marcas mais populares.

10º lugar – Erdinger Weissbier

A cervejaria Erdinger Weissbier Privatbrauerei existe desde 1886 e tem sede em Erding, na Baviera. A linha de produtos vai desde a tradicional cerveja de trigo até cervejas sem álcool, bocks de trigo e a “Urweisse”, cerveja de trigo um pouco mais escura, produzida seguindo a receita original bávara e que vem numa garrafa clássica.dscf1890

9º lugar – Radeberger Pilsner

A cervejaria fica em Radeberg, na Saxônia. A marca é conhecida pela longa tradição de sua cerveja tipo pilsen. A decisão de criar a cerveja foi de cinco amigos em 1872, enquanto tomavam vinho. Eles não entendiam nada de cerveja, mas queriam uma melhor do que as que havia na época. A ideia era fazer uma cerveja nos moldes da feita em Pilsen, na República Checa, a 250 quilômetros de Raderberg.radeberger-pilsener-dresden

8º lugar – Paulaner

A cervejaria Paulaner tem sede em Munique, na Baviera, e produz cervejas desde 1780. Conhecida principalmente pela Oktoberfest e pelo Bayern de Munique, é uma marca de grande reputação. Seu nome vem da Paulanerorden (Ordem dos Mínimos), uma ordem religiosa fundada por São Francisco de Paula. Os membros dessa ordem já fabricavam cerveja para consumo próprio desde 1634.

images

7º lugar – Hasseröder

A sede fica em Hasserode, um bairro de Wernigerode, no estado da Saxônia-Anhalt. A fábrica existe desde 1872 e produz cervejas tipo pilsen, export e preta, além da tradicional Fürstenbräu, fabricada sob licença do príncipe de Stolberg-Wernigerode.

_DSC7659_DxOFix

6º lugar – Beck’s

A tradicional cervejaria surgiu em Bremen em 1873. A marca é conhecida por suas cervejas tipo export e bebidas que misturam cerveja com refrigerante. Há mais de dez anos ela está nas mãos da Anheuser-Busch InBev, com sede em Löwen, na Bélgica.

post-skunk5

5º lugar – Veltins

Esta marca especializada em cerveja tipo pilsen e misturas de cerveja com outras bebidas existe desde 1824 e fica em Grevenstein (Renânia do Norte-Vestfália). Um aspecto interessante é que a caixa de cerveja da Veltins foi desenhada em cooperação com o estúdio de design da Porsche.

IMG_3048

4º lugar – Warsteiner

A cervejaria com sede em Warstein (Renânia do Norte-Vestfália) existe desde 1753 e oferece, além da pilsen Warsteiner Premium, outras misturas de pilsen, como a Radler Grapegruit (com toranja), a Warsteiner Lemon (com limão) e a Warsteiner Ginger (com gengibre).

dscn6218

3º lugar – Bitburger

A medalha de bronze das marcas preferidas na Alemanha vai para a Bitburger, um dos patrocinadores da seleção alemã de futebol. A sede fica em Bitburg (Renânia-Palatinado), onde a Bitburger Pils é fabricada desde 1817. Além dela, são fabricadas cervejas sem álcool e misturas com refrigerantes, o que atrai especialmente a clientela jovem.

IMG_2015_zps85erlkzz

2º lugar – Krombacher

A medalha de prata das dez cervejas mais populares na Alemanha vai para esta cervejaria de Krombach, distrito de Kreuztal, na Renânia do Norte-Vestfália. Desde 1803 são produzidas lá, além da tradicional pilsen, muitas outras variedades, como uma cerveja de trigo, uma escura e uma “Radler”, misturada com refrigerante sabor limão.

Photo-Dec-31-5-33-35-PM-HDR-e1325617610649

1º lugar – Oettinger

A sede do grupo fica em Oettingen, na Baviera. Há ainda fábricas em Gotha (Turíngia), Mönchengladbach (Renânia do Norte-Vestfália) e Braunschweig (Baixa Saxônia). A Oettinger produz 25 tipos de cerveja e dez bebidas de baixo teor alcoólico. Ao longo dos anos, conquistou fama de produzir cerveja barata – no preço e, para alguns, também na qualidade. É a marca mais vendida desde 2004.

_DSC8901_DxOFix

Lembrando que esse Top 10 é das mais POPULARES (mais vendidas).
Nao confunda com as melhores cervejas da Alemanha. 🙂

 

 

Os níveis do idioma alemão A1 a C2

Posted on

Na Alemanha, o nível dos cursos de alemão para estrangeiros é indicado por A1, A2, B1, B2, C1 e C2, de acordo com o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR), sendo A1 o nível para iniciantes e C2 para um nível linguístico alto. Veja adiante o que esses níveis significam.

A – Domínio elementar do idioma

A1 – Entender e saber empregar frases simples no idioma alemão.
Entender e saber empregar expressões cotidianas e frases simples. Saber fazer e responder perguntas simples do dia-a-dia. Saber apresentar-se e apresentar outras pessoas. Escrever mensagens pessoais curtas. Capacidade de comunicação simples.
A2 – Saber se comunicar em alemão em situações cotidianas.
Entender frases e expressões relacionadas a temas comuns, como à própria pessoa e à família, compras, trabalho, amigos, local onde vive. Capacidade de troca simples e direta de informações sobre coisas comuns em situações do dia-a-dia. Entender conversas breves, mensagens no telefone, informações do rádio ou anúncios simples de jornal. Comunicação suficiente para satisfazer as necessidades básicas.

B – Domínio autônomo do idioma

B1 – Saber conversar sobre diversos temas em idioma alemão simples.
Entender a língua padrão claramente articulada em assuntos conhecidos como escola, família, trabalho, lazer. Saber se expressar e compreender as pessoas durante viagens, em situações familiares e áreas de interesse pessoal. Capacidade de comunicação média, sabendo descrever experiências, acontecimentos, sonhos, esperanças e objetivos e explicar ideias, planos e intenções de uma forma compacta.
B2 ­– Saber interpretar textos mais complexos e conversar normalmente em alemão.
Entender a essência de textos mais complexos e saber expressar-se de forma clara e detalhada. Saber conversar sobre as coisas básicas de sua área profissional. Capacidade de comunicação fluente, sabendo falar normal com falantes nativos sem muito esforço de se expressar e ser compreendido.

C – Domínio competente do idioma

C1 – Entender textos difíceis em alemão e saber expressar-se de forma fluente e espontânea em praticamente todas as áreas.
Entender textos exigentes, variados e longos. Vocabulário suficiente para se expressar fluentemente e de forma estruturada, sem precisar “buscar palavras”. Capacidade de comunicação avançada suficiente para a vida social, profissional ou nos estudos em escola ou faculdade.
C2 – Nível de competência avançado – Saber se comunicar em alemão (quase) como um falante nativo.
Entender praticamente tudo o que lê ou ouve sem esforço, dominar bem a escrita e a fala. Capacidade de comunicação espontânea, muito fluente e exata, mesmo quando se trata de assuntos mais complexos, de forma muito próxima a um falante nativo.

Esses níveis correspondem mais ou menos aos níveis antigos:

Grundstufe – Nível básico (=A)
Mittelstufe – Nível médio (=B)
Oberstufe – Nível superior (=C)