RSS Feed

Dicas úteis para quem está pensando em se mudar para a Alemanha

Posted on

Tem-se notado claramente uma tendência de emigração de brasileiros, que buscam uma vida melhor ou que simplesmente querem conhecer o mundo. A Alemanha se encontra hoje entre um dos destinos preferidos de migrantes de todo o mundo, inclusive de brasileiros. Como emigrar não é algo simples, mas sim uma mudança séria na vida da pessoa, tentei resumir aqui algumas dicas úteis para quem está pensando em mudar-se para a Alemanha.

1. Tome consciência do que esse passo significa

Emigrar não é uma decisão simples, principalmente quando se pretende mudar de país. Sair do Brasil para a Alemanha não é a mesma coisa que mudar de bairro ou de cidade dentro do próprio Brasil. Você não se verá confrontado somente com um lugar diferente, mas praticamente tudo mudará: o idioma, a mentalidade, a cultura, o clima, a comida… Então, o primeiro e mais importante passo para quem pensa em sair do Brasil para viver na Alemanha é ter consciência disso. Venha sabendo que tudo será diferente, que muita coisa será novidade e que sua experiência no exterior será maravilhosa, mas às vezes também muito difícil, pois você terá que conhecer uma vida totalmente nova, com hábitos novos, com coisas que você antes talvez nunca conseguiu imaginar. Mudar de país é um passo marcante e é necessário ter consciência de suas consequências, tomando tal decisão com a devida serenidade e clareza.

2. Seja realista

Infelizmente, há quem acredite que a Alemanha seja um paraíso, onde tudo é melhor, onde emprego e moradia podem ser achados facilmente e onde se fica rico sem maiores dificuldades. Por favor, esqueça isso! Nenhum país do mundo é um paraíso, a Alemanha também não. Aqui se tem normalmente um bom padrão de vida, mas nada lhe será dado de mãos beijadas. Você vai ter que trabalhar (e muito!) para ganhar seu dinheiro, o custo de vida em qualquer cidade grande alemã é alto, principalmente os custos com moradia pesarão em seu orçamento. Você vai ter que aprender o idioma e se adaptar a uma cultura e a um clima bem diferentes de tudo que você conhece. Não saia do Brasil achando que esse passo será suficiente para que tudo dê certo, pois esse passo seria somente o começo. O caminho até você se estruturar e fincar o pé em outro país pode demorar um pouco, dependerá de diversos fatores e não será nada fácil no início.

Não corra atrás da ilusão de que basta chegar na Alemanha para arrumar trabalho e moradia. Você só poderá trabalhar legalmente aqui se tiver um visto que permita isso, e você terá que concorrer no mercado de trabalho e no mercado imobiliário com outras pessoas. Veja se sua formação profissional tem realmente chances no mercado de trabalho alemão e se informe bem sobre as dificuldades que irá enfrentar (reconhecimento de diplomas e certificados, domínio da língua alemã, pouca oferta de emprego em sua área, etc.).

Então, antes de fazer as malas e zarpar, livre-se das ilusões e busque ser o mais realista possível. Ponha asas em seu coração, mas mantenha os pés no chão!

3. Saiba que passará por fases difíceis

A vida no exterior não é nenhum mar de rosas. No início, ficamos deslumbrados com as inúmeras novidades e encantados até mesmo com as diferenças entre a nossa e a outra cultura. Mas a novidade passa, alguns problemas surgem e um imigrante pode atravessar crises sérias. A saudade pode bater forte e a distância da família e dos amigos pode doer, a adaptação no novo país pode ser bem mais difícil do que se imaginava. É bom ter consciência desses momentos difíceis e se preparar para eles, não se iludindo e acreditando que nada disso ocorrerá com você.

 

4. Se informe bem e corretamente sobre as formalidades

Mudar de país significa também muita burocracia e muitas formalidades. Você terá que deixar sua “vida no Brasil” resolvida e resolver também sua “vida na Alemanha”, você precisará de passaporte, de visto (o visto para a Alemanha só é dispensado para estadia como turista de até 3 meses!), de seguro de saúde, talvez de uma conta bloqueada na Alemanha… Se você vem para estudar, você terá que buscar uma escola/universidade, traduzir diplomas e outros documentos e assim por diante. E você terá que se informar sobre tudo isso.

Ao se informar, busque fontes confiáveis. Informe-se de preferência junto a órgãos oficiais, principalmente aqueles diretamente envolvidos em seu processo de emigração. Informações sobre vistos, por exemplo, deveriam ser buscadas prioritariamente junto ao consulado alemão mais próximo de você ou na repartição de estrangeiros (Ausländerbehörde) do lugar na Alemanha onde pretende viver. E se você busca informações sobre as formalidades para estudar, procure entrar em contato direto com a escola/universidade, que informará então quais os passos necessários.

É claro que há diversos sites e blogs na internet com informações sobre a Alemanha, mas é sempre recomendável verificar a exatidão do que foi informado, já que um artigo em um site ou blog pode estar desatualizado, incompleto ou ser baseado na experiência pessoal do autor, sem ter validade geral. Como mudar de país é um passo importantíssimo, com implicações sérias na vida do emigrante, é bom se informar bem e sempre recorrer a mais de uma fonte para confirmar a informação.

Pode ser de grande ajuda buscar contato com outros brasileiros que já emigraram através, por exemplo, de grupos em redes sociais.

Alguns grupos no Facebook:

ALEMANHA PARA BRASILEIROS

BRASILEIROS E BRASILEIRAS EM BERLIM

BRASILEIROS NA ALEMANHA – ALEMAES NO BRASIL

BRASILEIROS NA ALEMANHA

 

5. Conheça da melhor forma possível a cultura e a mentalidade dos alemães, principalmente da região onde pretende viver

Acredite: o choque cultural será grande. Muita coisa na Alemanha é diferente do Brasil! E tem mais: apesar de ser um país geograficamente pequeno (24 vezes menor que o Brasil!), as diferenças regionais são marcantes. A cultura e a mentalidade podem mudar muito de região para região, e até mesmo o idioma, pois são falados muitos dialetos. Leve isso em consideração, pois seria problemático conhecer a cultura de Berlim e depois ir viver, por exemplo, no interior da Baviera, no sul da Alemanha. Busque então conhecer a cultura alemã como um todo, mas se concentre também nas peculiaridades da região onde pretende viver.

6. Aprenda o idioma

Aprender o idioma falado no país é requisito básico para quem quer emigrar. E isso vale para qualquer destino, não só para a Alemanha. Não basta vir para a Alemanha falando inglês (que poderá ser de grande ajuda no início, mas não é suficiente para viver), muito menos basta vir falando somente português.

Procure se matricular em um curso de alemão o mais cedo possível, quanto mais cedo melhor! E, quando chegar à Alemanha, prossiga com o aprendizado do idioma, matricule-se em uma escola e procure usar e exercitar o tanto que já sabe.

 

7. Informe-se sobre o custo de vida e calcule direitinho quanto dinheiro vai ter que trazer para viver pelo menos nos primeiros meses

Uma das coisas subestimadas por muitos é o custo de vida na Alemanha. Começar uma vida aqui sem dinheiro suficiente é uma grande aventura e pode ser algo perigoso, pois a pessoa pode se ver confrontada com problemas sérios de sobrevivência.

Principalmente em cidades grandes, a moradia não é barata (calcule em Berlim aproximadamente 300 euros por mês para um quarto ou 600 euros para um apartamento quarto e sala, podendo sair ainda bem mais caro, a depender do bairro e do nível de conforto desejado).

Você precisará também de um seguro de saúde, terá despesas com transporte, telefone, energia elétrica, roupas, alimentação e assim por diante.

Muita gente pergunta “quanto dinheiro se precisa por mês para viver na Alemanha?”, mas essa pergunta não pode ser respondida assim, de forma geral, pois depende da região (moradia em cidades pequenas é bem mais barata que em cidades grandes, por exemplo) e da forma como se vive (possuir um carro custa bem mais do que andar de bicicleta…). Aqui o importante é definir claramente onde e como se quer viver e buscar informações junto à comunidade local.

8. Escolha um bom seguro de saúde – o barato pode sair caro!

Na Alemanha é obrigatório possuir um seguro de saúde. Muitas seguradoras oferecem tal seguro para quem está imigrando e os preços variam bastante, a depender da companhia, mas também do que deve ser coberto pelo seguro. É compreensível que quem está mudando de país e já tem muitas outras despesas, tente conseguir um seguro barato, que não pese tanto no orçamento. Mas aqui se deve ter cuidado, pois o que sai barato no início pode terminar ficando bem caro depois. Portanto, antes de fechar um contrato com uma seguradora, informe-se bem sobre os tratamentos que o seguro cobre. Muita gente abre mão, por exemplo, de psicoterapia ou tratamento dentário para baratear o seguro, mas se vê depois confrontada com custos altíssimos que têm que pagar então do próprio bolso.

 

9. Traga todos os documentos importantes

Pare e pense que sempre pode acontecer algum imprevisto, como a perda de passaporte, por exemplo, que lhe coloque numa situação difícil. Nessas horas, é essencial ter consigo os documentos mais importantes, como certidão de nascimento, RG, CPF, título de eleitor, certificado de reservista… Antes de viajar, procure ter esses documentos atualizados, trazendo-os consigo e guardando-os com segurança.

10. Traga todos os seus diplomas, certificados e qualquer documento que sirva para comprovar sua formação e sua experiência profissional

Fique sabendo que alemão adora “papel”. Aqui é muito importante comprovar suas habilidades. Não basta saber algo, você vai ter que comprovar que realmente sabe. Portanto, traga todos seus diplomas, certificados, cartas de recomendação e tudo que possa comprovar sua formação, sua experiência profissional e suas habilidades. Não traduza logo esses documentos, pois uma tradução oficial não é algo muito barato, mas traduza-os à medida que for precisando, de preferência aqui na Alemanha, pois uma tradução feita no Brasil corre o risco de não ser reconhecida por algum órgão alemão.

11. Não venha de vez – conheça o país primeiro

Se você sonha em vir para a Alemanha por causa de relatos de terceiros, de coisas que viu ou leu por aí ou porque simplesmente colocou isso na cabeça, tenha cuidado para não se precipitar. Se você nunca veio na Alemanha, você pode estar com uma ideia totalmente errada do país.

É claro que uma viagem para cá não é barata, mas, se possível, venha primeiro por um tempo determinado (mesmo que curto), para passear, fazer um curso de alemão ou algo similar. Venha, conheça e volte para o Brasil, para somente então tomar sua decisão de emigrar. É claro que uma estadia curta não lhe dará uma visão profunda da vida na Alemanha, mas ajudará a evitar que você venha sem ter qualquer imaginação de como realmente é a vida por aqui.

12. Não venha de vez – deixe “um pé no Brasil”

Qualquer projeto de emigração pode dar errado. Você pode vir todo otimista, achando que tudo vai dar certo, mas não há qualquer garantia para isso. Alguma coisa pode dar errado ou mesmo você pode mudar de ideia e querer voltar. E, quando isso acontece, seria bom que sua vida no Brasil não tenha sido totalmente desmanchada. Portanto, verifique se não seria possível manter sua moradia no Brasil ainda por um tempo, se não seria possível fazer um acordo com o empregador para manter a vaga na empresa por alguns meses e se não seria prudente manter vivos os contatos e o vínculo com o Brasil, pelo menos até que se tenha fincado os pés no novo país.

13. Pense na possibilidade de ter um procurador no Brasil

Nem sempre dá tempo de resolver tudo no Brasil antes de emigrar e pode surgir um ou outro problema para ser resolvido posteriormente. Uma vez vivendo aqui, nem sempre é possível pegar um avião e ir ao Brasil para resolver alguma coisa. Seria prudente ter um procurador, uma pessoa de confiança, com poderes para resolver certas coisas por você.

14. Não deixe para cuidar de passaportes, vistos e passagens na última hora

Não deixe para cuidar de formalidades importantes de última hora. Lembre-se que imprevistos sempre podem acontecer e alguns deles podem exigir algum tempo para serem resolvidos. Tente então resolver certas coisas com antecedência, tire logo seu passaporte e solicite seu visto com calma. E vale a pena começar a pesquisar preços de passagens já cedo, pois isso aumenta a chance de encontrar alguma promoção boa e economizar muito dinheiro.

15. Compre roupas de frio na Alemanha

O inverno alemão é severo. Quem vem do Brasil, mesmo que da região Sul, jamais passou pelo frio que passará aqui (exceto se já esteve em algum lugar realmente gelado!). O inverno é duro, mas dá para ser suportado com a roupa certa, mas essa “roupa certa” você dificilmente poderá comprar no Brasil. Assim, para evitar que chegue por aqui com alguma “jaquetinha de inverno” brasileira e termine gastando dinheiro duas vezes, deixe para comprar sua roupa de inverno na Alemanha.

 

16. Tente vir na primavera

Como o inverno é duro e isso dificulta a chegada de qualquer um que não esteja acostumado com ele, tente vir na primavera (a partir do final de março), pois isso pode ajudar muito a facilitar a aclimatização.

17. Medicamentos

Se você toma algum medicamento regularmente, traga uma quantidade suficiente para o início e se informe sobre sua existência na Alemanha (ou se há outros medicamentos correspondentes). Não deixe de cuidar disso, pois pode ser bastante problemático necessitar de um medicamento em um país estrangeiro e não saber onde e como consegui-lo.

O que você não precisa é trazer a mala cheia de medicamentos contra diarreia, gripe, resfriado e material para curativos, pois isso é coisa que você encontra em qualquer farmácia por aqui.

 18. Liberte seu paladar

Uma das coisas que dificultam muito a adaptação de brasileiros é o ficar preso à comida brasileira. Alguns brasileiros passam todo o tempo atrás de alguma coisa do Brasil que sente falta (goiabada, polvilho, farinha de mandioca, requeijão…). Produtos brasileiros são cada dia mais encontrados por estas bandas, mas para quem não liberta seu paladar e só quer comer comida brasileira, o sofrimento é certo. Faz mais sentido se abrir e aproveitar a estadia no exterior para conhecer a culinária alemã, que por sinal é muito diversificada e oferece opções para tudo quanto é gosto.

 

19. Tenha cuidado com as expectativas de quem fica no Brasil

Uma coisa muito comum é alguém sair do Brasil para a Europa e certas pessoas que ficam criarem a expectativa de que quem sai fica rico rapidamente. Muita gente acha que viver na Europa é automaticamente sinônimo de riqueza, que basta chegar aqui e colher dinheiro em árvores ou catá-lo no chão. Então se espera muito de quem está saindo: presentes caros e ajuda financeira. O pior é que quem está saindo também acredita muitas vezes nisso, e gosta de vestir a carapuça de quem ficará realmente rico, prometendo coisas que depois só poderão ser cumpridas com muita dificuldade ou que nunca poderão ser cumpridas. Tenha consciência de que na Alemanha também se tem que trabalhar duro para se conseguir as coisas e que ninguém fica rico só por vir para cá. Corte qualquer expectativa nesse sentido e não se deixe cair na tentação de ostentar algo que não está nada de acordo com a realidade.

 

20. Seja aberto e deixe seus preconceitos no Brasil

Seja ousado, mude de país, venha com coragem e perseverança, mas traga a humildade de quem sabe que é visitante e entende que nós é que temos nos adaptar à Alemanha e nos integrar em sua sociedade e não o contrário. A Alemanha e os alemães não irão mudar por nossa causa e nós precisamos ser abertos para assimilar outra cultura. Cada um decide o quanto de assimilação ele deseja permitir, mas sem ela a vida de qualquer pessoa no estrangeiro se torna extremamente difícil. Se é sua vontade viver na Alemanha, então abra-se para a cultura alemã, tente conhecê-la sem preconceitos, olhe-a de perto e forme sua própria opinião. Tenha cuidado para não repetir um erro cometido por muitos migrantes, que se fecham para a cultura alemã, a comparam todo o tempo com a cultura de sua terra natal e optam por viver praticamente em guetos ou mesmo isolados, preso numa frustração que só surgiu porque faltou abertura.

Se você é homófobo, racista, machista ou qualquer outra coisa que não preste, fique ciente que você deverá ter cuidado na Alemanha. Aqui sua vida pode complicar bastante se você achar que pode tratar alguém mal por ser homossexual, ter cor de pele diferente ou ser mulher. Não faça piadinhas de mau gosto quando uma mulher passar por você e tenha cuidado com qualquer forma ofensiva ou mal educada de tratar quem quer que seja.

 

21. Para terminar…

Seja otimista, pense positivo e encare seu projeto de emigração como uma aventura que irá enriquecer sua vida, irá abrir sua mente e lhe fazer conhecer outra cultura e outra realidade. Mas não seja ingênuo, não se iluda, mantenha os pés no chão e se informe direitinho antes de dar esse passo. Sim, seja cauteloso, mas não seja medroso. Se quer tentar, tente. Muitos outros já conseguiram antes de você. Por que então você não conseguiria? 😉

About Leo Cunha

Olá, me chamo Leo Cunha, sou arquiteto, nascido e criado no Rio de Janeiro e morando desde 2010 em Munique (Alemanha). Além de dicas, fotos e curiosidades, tentarei expor alguns relatos de viagens que fiz e ainda faço pela região do Sul da Alemanha (Bavaria), e pela Europa. Escrevendo de forma descontraída, espero conseguir contar o que vivi, conheci e aprendi por aqui. A idéia é fazer artigos ilustrados com informações simples, fáceis e úteis a qualquer visitante. Lembrem-se, estarei relatando unicamente minha experiência e opinião. Portanto não espere um relato imparcial e completo. Além disso, nao trabalho com turismo, e nao recebo nenhum centavo por escrever qualquer artigo. Se quiser ajudar, contando sua experiência, aventura, criticando, sugerindo,..seja bem-vindo

2 responses »

  1. Olá Leo!!!!
    O seu post é o melhor relato que já li sobre vir morar na Alemanha. Recebo muitos e-mails sobre este tema, de pessoas querendo fazer esta mudança, buscando uma “receita” aqui do sucesso, querendo números $$$, achando que viver aqui é viver no céu rs, enfim, respostas, que como você falou, variam de caso para caso, lugar para lugar. E concordo plenamente que aprender o idioma é fundamental. Como um alemão uma vez me disse: “nos sentimos honrados a ouvir uma Pessoa tentando falar alemão, talvez ainda com erros, do que um inglês perfeito. Isso mostra interesse na nossa cultura e merece o nosso respeito por ser uma língua que muitos de nós nao dominamos”. Vou compartilhar seu excelente post a cada um que me fizer esta pergunta e pelas redes hehehe!
    Abs, Camilian (Destino Munique =D)

    Responder
    • Oi Camilian,

      Fico feliz com os elogios, principalmente vindo de voce, uma brasileira que conhece Munique ou “Minga” melhor do que muitos alemaes. Sou um dos seus seguidores no Instagram. Recomendo a todos tambem.

      Seja bem-vinda sempre.

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: